Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Seaf lamenta morte de professor parceiro nas ações de políticas públicas da pasta - Jornal Brasil em Folhas
Seaf lamenta morte de professor parceiro nas ações de políticas públicas da pasta


É com extremo pesar que a Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf) lamenta o falecimento de um dos seus grandes parceiros nas atividades de políticas públicas da Agricultura Familiar e Economia Solidária. Faleceu aos 67 anos nesta manhã de sexta-feira (04.05) o pesquisador e professor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Nicolau Priante Filho. O velório começou às 15hs na sala Hortência, na Capela Jardins, em Cuiabá, e o enterro está previsto para ocorrer às 10hs de amanhã (05.05).

O secretário de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários, Corségio Ribeiro, destaca o empenho de Nicolau Priante na busca por soluções de problemas de empreendimentos econômicos solidários e no engajamento de pesquisas na área ambiental em Mato Grosso. “Devido á excelente atuação no campo da pesquisa, o senhor Nicolau ganhou diversos prêmios, como por exemplo o de 2004, do Prêmio FINEP Inovação Tecnológica no Centro Oeste, e o Prêmio Samuel Benchimol na categoria social, em 2005. Além disso tem seu nome conhecido nacionalmente por implantar no País a figura do pesquisador cooperado, que cria relações de confiança entre empresas, governo, universidades e comunidades carentes, pautando-se no desenvolvimento solidário”, comentou Corségio Ribeiro.

Nicolau Priante Filho era físico, casado com a professora Josita Correto Priante, e pai de quatro filhos. Nasceu em Jacareí (SP) e se formou pela Universidade de São Paulo (USP). Ele foi um dos engajadores da Cooperativa de Pescadores e Artesãos de Pai André e Bom Sucesso (Coorimbatá), que atua com unidades produtivas de frutas, peixes e húmus de minhoca. Seu belo trabalho em atividades de pesquisa na Coorimbatá beneficiou desde 1997 mais de 5.600 pessoas, gerando alternativas de rendas para comunidades com baixo poder aquisitivo, sobretudo na Baixada Cuiabana.

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212