Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Campanha de vacinação contra febre aftosa em Goiás segue até 31 de maio - Jornal Brasil em Folhas
Campanha de vacinação contra febre aftosa em Goiás segue até 31 de maio


Segue até 31 de maio a 1ª etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa em Goiás. De acordo com a Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), todos os animais bovinos e bubalinos existentes em propriedades rurais do Estado devem ser vacinados.

A analista técnica do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), Christiane Rossi, destaca a importância da campanha. “Através do envolvimento do produtor, vacinando todos os bovinos e bubalinos contra a aftosa, foi possível avançarmos com a condição sanitária do nosso rebanho. Com isso, estamos livres de aftosa em nosso país e caminhamos para cumprirmos os demais requisitos para a retirada futura da vacina. As responsabilidades não deixarão de existir, mas passarão a ser prioridades, a vigilância ativa e outros controles necessários à condição de permanência como livres da doença”, diz Rossi.

Declaração da vacina
A Declaração de Vacinação deve ser feita online, no site da agência, ou mediante formulário impresso entregue junto com a Nota Fiscal Eletrônica de aquisição das vacinas, sem rasuras nas unidades operacionais da Agrodefesa. A entrega também pode ser feita em uma das unidades do “Vapt-Vupt”/Segplan que fazem atendimento da Agrodefesa no município onde se localiza a propriedade rural, no prazo máximo de cinco dias úteis após o término da campanha deste mês.

Fica também proibido no período de 30 de abril a 8 de maio, a realização de leilões virtuais e presenciais de bovinos e bubalinos bem como a permanência destes em feiras pecuárias, sendo que após este período, a entrada será somente permitida com a comprovação de vacinação.

Ainda, para os produtores ou proprietários que optarem por não vacinar seus animais bovinos e bubalinos e que, obrigatoriamente, irão abatê-los em até 60 dias após o término da etapa de maio, devem apresentar o termo de compromisso e responsabilidade de abate de animais.

O pecuarista que não imunizar seus animais, além da multa compulsória e bloqueio da propriedade, terá que fazer a vacinação assistida por fiscais da Agrodefesa. A autuação será de R$ 7.00 por animal, ou R$ 14,00 em caso de reincidência. A aquisição das vacinas pelo produtor, obrigatoriamente, deve estar acobertada por Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), emitida no ato de retirada do medicamento. (Com informações da Faeg)

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212