Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Campanha de vacinação contra febre aftosa em Goiás segue até 31 de maio - Jornal Brasil em Folhas
Campanha de vacinação contra febre aftosa em Goiás segue até 31 de maio


Segue até 31 de maio a 1ª etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa em Goiás. De acordo com a Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), todos os animais bovinos e bubalinos existentes em propriedades rurais do Estado devem ser vacinados.

A analista técnica do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), Christiane Rossi, destaca a importância da campanha. “Através do envolvimento do produtor, vacinando todos os bovinos e bubalinos contra a aftosa, foi possível avançarmos com a condição sanitária do nosso rebanho. Com isso, estamos livres de aftosa em nosso país e caminhamos para cumprirmos os demais requisitos para a retirada futura da vacina. As responsabilidades não deixarão de existir, mas passarão a ser prioridades, a vigilância ativa e outros controles necessários à condição de permanência como livres da doença”, diz Rossi.

Declaração da vacina
A Declaração de Vacinação deve ser feita online, no site da agência, ou mediante formulário impresso entregue junto com a Nota Fiscal Eletrônica de aquisição das vacinas, sem rasuras nas unidades operacionais da Agrodefesa. A entrega também pode ser feita em uma das unidades do “Vapt-Vupt”/Segplan que fazem atendimento da Agrodefesa no município onde se localiza a propriedade rural, no prazo máximo de cinco dias úteis após o término da campanha deste mês.

Fica também proibido no período de 30 de abril a 8 de maio, a realização de leilões virtuais e presenciais de bovinos e bubalinos bem como a permanência destes em feiras pecuárias, sendo que após este período, a entrada será somente permitida com a comprovação de vacinação.

Ainda, para os produtores ou proprietários que optarem por não vacinar seus animais bovinos e bubalinos e que, obrigatoriamente, irão abatê-los em até 60 dias após o término da etapa de maio, devem apresentar o termo de compromisso e responsabilidade de abate de animais.

O pecuarista que não imunizar seus animais, além da multa compulsória e bloqueio da propriedade, terá que fazer a vacinação assistida por fiscais da Agrodefesa. A autuação será de R$ 7.00 por animal, ou R$ 14,00 em caso de reincidência. A aquisição das vacinas pelo produtor, obrigatoriamente, deve estar acobertada por Nota Fiscal Eletrônica (NF-e), emitida no ato de retirada do medicamento. (Com informações da Faeg)

 

Últimas Notícias

Bolsonaro terá uma série de reuniões na próxima semana em Brasília
Com pênalti controverso, Brasil vence Uruguai por um a zero
Brasil está preparado para substituir médicos cubanos, afirma Temer
Chega a quatro número de vítimas das chuvas em Belo Horizonte
Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23
Massoterapeuta Dani Bumbum deixa prisão no Rio
Cervejas terão rótulos com os ingredientes usados na fabricação
Temporal causa mortes e estragos em BH; adolescente está desaparecida

MAIS NOTICIAS

 

Morre em Pelotas o criador da camisa canarinho, Aldyr Schlee
 
 
Brasil concentrou 40% dos feminicídios da América Latina em 2017
 
 
Jungmann e Toffoli anunciam sistema para unificar processos de presos
 
 
Pensamento liberal deve guiar a equipe econômica de Bolsonaro
 
 
Gold3-4 minutosfajn permanecerá à frente do BC até Senado aprovar Campos Neto
 
 
Senado argentino aprova orçamento de 2019 como prometeu ao FMI

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212