Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Ex-prefeito de Cabo Frio é alvo de investigação do MPRJ - Jornal Brasil em Folhas
Ex-prefeito de Cabo Frio é alvo de investigação do MPRJ


O Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC) do Ministério Público do Rio e a Delegacia Fazendária da Polícia Civil, cumprem 17 mandados de busca e apreensão na capital fluminense e nos municípios de Cabo Frio, Búzios e São Pedro da Aldeia, cidades da Região dos Lagos, e em Rio Bonito, no interior do estado. Os principais alvos da investigação são o ex-prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa e o empresário Osaná Socrates de Araújo Almeida.

De acordo com a denúncia, há indícios de direcionamento ilegal de uma licitação realizada em 2015, quando o município de Cabo Frio estava sob a gestão de Alair Corrêa, para contratação de empresa para coleta e destinação do lixo produzido na cidade. O valor do serviço foi R$ 48 milhões por ano e a validade do contrato de 16 anos. No total, o município gastaria com o negócio R$ 768 milhões. A licitação foi suspensa e posteriormente cancelada pela Justiça a pedido do MPRJ.

As irregularidades na coleta de lixo teriam começado antes de 2015. Em 2008, o município de Cabo Frio firmou contrato com a empresa Dois Arcos Transporte de Resíduos Sólidos para recebimento e deposição final de resíduos sólidos provenientes da coleta de lixo em aterro sanitário, com prazo de 12 meses, no valor estimado de R$ 3,6 milhões. Porém, o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) apontou uma série de irregularidades no contrato. O documento é objeto de ação civil pública ajuizada pelo MPRJ por improbidade administrativa.

Alair Corrêa usou seu perfil no Facebook para se defender. “Desejo tranquilizar os meus amigos quanto à visita da Polícia Civil em minha residência nesta manhã. Aqui estiveram em busca de documentos sobre a coleta de lixo na cidade nos últimos anos. Esse processo foi iniciado em 2008, há 12 anos, no governo anterior ao meu”.

Alair cita ainda as buscas feitas em sua casa pelos policiais da Delegacia Fazendária: “nada foi encontrado em minha casa relacionado a este processo. Já estou trabalhando normalmente em meu escritório”.

Até a publicação da matéria, a Agência Brasil não conseguiu contato com o empresário Osaná Socrates de Araújo Almeida também alvo da ação do MPRJ.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212