Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vulcão deixa 26 casas destruídas no Hawaí - Jornal Brasil em Folhas
Vulcão deixa 26 casas destruídas no Hawaí


Pelo menos 26 casas foram destruídas pela lava que desce do vulcão Kilauea, no Hawaí, segundo o último boletim emitido pelas autoridades locais na madrugada de hoje (7). A preocupação do governo é com alguns moradores que não respeitaram o alerta de saída obrigatória de suas casas.

O vulcão entrou em erupção na última sexta-feira (4), após uma semana de intensa atividade sísmica. O magma (massa mineral pastosa, em estado de fusão) que sai das crateras abertas do Kilauea alcança mais de 60 metros e provocou o aparecimento de novas fissuras na ilha.

A lava está passando muito perto de residências cujos moradores não atenderam ao chamado para buscar abrigos. Cerca de 1.700 residentes receberam ordem de saída, mas o governo afirma que nem todos seguiram a orientação. Cerca de 700 casas estão na área que recebeu instrução de saída obrigatória.

Algumas fissuras do vulcão já pararam de emitir os jatos de magma, mas alguns continuam ativos. A preocupação também é com o dióxido de enxofre, o gás altamente tóxico que sai de algumas crateras.

Moradores entrevistados por emissoras locais, como a Havaí News, afirmaram que tiveram pouco tempo para sair de casa, com relatos de menos de 10 minutos.
Atividade deve aumentar

A agência de Defesa Civil emitiu no alerta ontem (6) informando que a atividade eruptiva está aumentando e deve continuar.

As autoridades do Hawaí indicaram que as casas destruídas estavam em Leilani Estates. A população que saiu de casa se refugia em escolas e na Cruz Vermelha no arquipélago.

O Kilauea é um dos cinco vulcões da ilha e o mais ativo. É um dos mais visitados pelas centenas de milhares de turistas que chegam anualmente ao Hawaí.

As autoridades permitiram que alguns moradores retornassem às residências para recolher roupas e utensílios necessários, mas não foi autorizado o retorno permanente, por conta da intensidade dos gases emitidos e porque há fissuras que ainda estão lançando lavas.

Edição: Kleber Sampaio

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212