Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Campanha quer reabrir sala de dinossauros do Museu Nacional - Jornal Brasil em Folhas
Campanha quer reabrir sala de dinossauros do Museu Nacional


A reabertura de uma das principais atrações do Museu Nacional está nas mãos do público. Às vésperas de completar 200 anos, a instituição - a primeira de estudos científicos no país - hoje vinculada à Universidade Federal do Rio de Janeiro, lançou um financiamento coletivo para remontar a reprodução do dinossauro Maxakalisaurus topai.

Com 13 metros de cumprimento, da cauda à cabeça, o bicho está entre os maiores dinossauros do país e o foi o primeiro de grande porte a ser montado no Brasil. Ficou em exibição desde 2006, no entanto, no fim de 2017, um ataque de cupins destruiu a estrutura de sustentação do esqueleto e a exibição teve de ser fechada. Atualmente, parte das peças maiores, do fêmur e costelas, por exemplo, está amontoada em um canto da sala. Outras, menores, em caixas.

Por meio da campanha na internet, a expectativa dos organizadores é arrecadar R$ 30 mil e abrir a sala com o Maxakalisaurus, também chamado de dinoprata, a atração principal, até junho. No segundo piso, a sala exibia também réplicas de animais que conviveram no mesmo período, no Brasil, como pterossauros, jacarés extintos, invertebrados e plantas.

“Ao reabrir esta sala, daremos ao visitante a oportunidade de vivenciar um pouco mais sobre a evolução da vida na Terra, especificamente, nesse pedacinho chamado Brasil”, disse o diretor do museu e paleontólogo Alexander Kellner, um dos entusiastas dos dinossauros e descobridor do dinoprata. “Vamos atingir milhares de indivíduos, sobretudo, estudantes, despertando novas vocações, e atuando na difusão científica junto à população”, completou.

O Maxakalisaurus era herbívoro (só comia plantas), pesava até 9 toneladas e viveu no período Cretáceo, há mais de 80 milhões de anos, na região onde fica hoje o município de Prata, em Minas Gerais. A reconstrução completa do réptil, com ossos feitos de resina, ficava à mostra junto com alguns fósseis reais do bicho, que por serem frágeis, estão guardados.

Para a reconstrução da base de madeira há várias formas de doar, a partir de R$ 20, até o dia 4 de junho. Em troca, são ofertadas recompensas como réplicas de dentes de dinossauros, camisetas, canecas e até um desenho original feito pelo paleoartista Marílio Oliveira. As doações são feitas após cadastro no site da campanha.

Depois da sala dos dinossauros, o Museu Nacional quer recuperar a ala da baleia jubarte, fechada há 20 anos. O diretor Kellner explica que trata-se de ossos originais, inteiros, de uma baleia jubarte encontrada em Parati. “É uma raridade ter uma baleia nessas condições”. Para voltar a exibi-la, Kellner estima a necessidade de arrecadar R$ 1 milhão. “Queremos fazer uma exibição de primeiro mundo, com iluminação e interatividade à altura”, disse.

Recentemente, a reitoria da UFRJ apresentou, em audiência pública, um balanço das condições financeiras da universidade. Os gestores confirmaram que passam por dificuldades, com corte nos investimentos, devido ao contingenciamento de verbas pelo governo federal.

Edição: Aécio Amado

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212