Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Anistia Internacional lembra dois meses da morte de Marielle - Jornal Brasil em Folhas
Anistia Internacional lembra dois meses da morte de Marielle


No dia em que se completam dois meses do homicídio da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco (PSOL), a Anistia Internacional organizou hoje (14) uma ação em frente à Secretaria de Estado de Segurança Pública (Seseg), próximo à Central do Brasil, no centro da cidade. A iniciativa contou com a presença da mãe e do pai da parlamentar, Marinete da Silva e Antônio Francisco Neto. Ativistas levaram cartazes lembrando os 60 dias do episódio e questionando sobre a responsabilidade do crime. Também usaram máscaras com o rosto da vítima.

A intenção da ação é cobrar novamente que as autoridades do estado se comprometam publicamente com a elucidação do caso. Nós entendemos que as investigações de homicídios são complexas e de forma nenhuma queremos que haja uma aceleração indevida. Mas é justamente por isso que as altas autoridades, o secretário, o Gabinete de Intervenção Federal devem vir a público confirmar o compromisso com uma investigação correta, profunda, adequada, disse a coordenadora de pesquisa da Anistia Internacional, Renata Neder.

Segundo a ativista, é importante que o estado se comprometa em revelar não apenas quem matou Marielle, mas também quem mandou matar e qual foi a motivação. Historicamente no Brasil, homicídios de defensores humanos em geral não são devidamente investigados e não há a devida responsabilização. Quando isso acontece, geralmente é porque há pressão da população, que não deixa o caso cair no esquecimento. Muitas vezes as investigações levam apenas a identificação do executor, mas não do mandante.

Renata Nedes diz ainda ser preocupante a circulação de informações sobre o caso em veículos da imprensa, como a divulgação do conteúdo de declarações de uma testemunha que implicariam o vereador Marcello Siciliano (PHS) e o ex-policial militar Orlando Oliveira Araújo, atualmente preso sob acusação de liderar milícia na cidade. Para a coordenadora, o sigilo precisa ser respeitado e vazamentos que trazem especulações, informações aleatórias e versões contraditórias não ajudam.

Eleita para ocupar uma vaga na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, com mais de 46 mil votos, Marielle estava em seu primeiro mandato. Sua atuação envolvia a defesa do direito das mulheres, dos negros, da comunidade LGBT e da população de baixa renda. O assassinato ocorreu na noite do dia 14 de março, após ela deixar uma atividade na Lapa, no centro da cidade. Os criminosos seguiram o carro que a transportava e dispararam contra ele quando estavam na Estácio, bairro da região central, matando a vereadora e o motorista Anderson Gomes.

Ontem (13) a Anistia Internacional publicou uma nota cobrando a conclusão sobre o assassinato de Marielle e Anderson.

Manifestação

Na tarde de hoje será realizado um ato em memória de Marielle e Anderson nas escadarias da Câmara Municipal do Rio, na Cinelândia. Às 16h, será estendida uma bandeira para que as pessoas que estiverem no local escrevam mensagens. A iniciativa é do PSOL em parceria com a equipe do mandato de Marielle. A intenção é que o bandeirão circule posteriormente por diversas praças públicas da cidade e do estado.

A equipe do mandato de Marielle vem realizando outras ações para manter vivo o seu legado. No dia 2 de maio, em articulação com outros parlamentares, conseguiram incluir projetos da vereadora na pauta de votação da Câmara. Cinco deles foram aprovados em primeiro turno. A equipe desenvolve ainda uma campanha que pede justiça através das redes sociais, convocando os internautas a postar mensagens usando a hashtag #JustiçaParaMarielleEAnderson e a frase Justiça para Marielle e Anderson: quem mandou matar e por quê?.

* Colaborou Joana Moscatelli - Repórter da Rádio Nacional do Rio de Janeiro

Edição: Sabrina Craide

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212