Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Nova legislação para agrotóxicos é tema do programa Diálogo Brasil - Jornal Brasil em Folhas
Nova legislação para agrotóxicos é tema do programa Diálogo Brasil


O Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, de acordo com a Associação Brasileira de Saúde Coletiva. E, conforme projeção da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), até 2030, a produção de agrotóxicos precisará aumentar 3,4% ao ano para conseguir atender às demandas do setor agrícola. Além do impacto na saúde das pessoas, o organismo internacional demostra preocupação com a possibilidade de contaminação do solo e dos mananciais de água.

Sobre o assunto, o programa Diálogo Brasil de hoje (14) discute a proposta de uma nova legislação para o uso dos agrotóxicos, que deve ser votada nos próximos dias, na Câmara dos Deputados. Participam do debate a diretora da ACT Promoção da Saúde, Paula Johns, e o consultor de Tecnologia da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária, Reginaldo Minaré.

Para o técnico, é a utilização de defensivos que garante ao agricultor que seu produto será oferecido com qualidade e a preço competitivo ao consumidor. Segundo ele, hoje, a burocracia encarece a produção e atinge, principalmente, os pequenos produtores. Minaré também acredita que, caso as mudanças sejam aprovadas, não darão mais poder ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “Ibama e Anvisa continuarão analisando os registros dos defensivos”, diz.

Já Paula Johns vê problemas na flexibilização das normas, que vai na contramão do restante do mundo. Ela critica a proposta de substituir o nome “agrotóxico” por “defensivo fitossanitário”, o que, segundo a especialista, não resolverá o problema do uso excessivo do produto. A diretora afirma ainda que o pequeno produtor, que quer consumir menos veneno, continuará sendo afetado. “Os produtores ficam reféns da agenda da indústria química”.

Também participam do programa, por vídeo, o relator do Projeto de Lei nº 6299, que tramita no Congresso Nacional desde 2002, deputado Luiz Nishimori (PR/PR); o deputado Alessandro Molon (PSB/RJ); o advogado da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão Paulo César Amaral; e o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz Guilherme Franco Netto.

O Diálogo Brasil vai ao ar às segundas-feiras às 22h15 na TV Brasil.

Edição: Maria Claudia

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212