Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venezuela: em último dia de campanha, presos políticos fazem rebelião - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela: em último dia de campanha, presos políticos fazem rebelião


Uma rebelião em um importante presídio de Caracas marcou o encerramento da campanha eleitoral na Venezuela, nesta quinta-feira (17). Um grupo de opositores ao regime do presidente Nicolás Maduro teria ocupado corredores e áreas comunitárias de El Helicoide – um edifício projetado na década de 1950, como um moderno centro comercial. Hoje o prédio abriga, além das celas dos prisioneiros comuns, o quartel-general do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin) e 50 opositores presos pelo regime do presidente Maduro.

No domingo (20), Maduro disputa o segundo mandato presidencial com quatro outros candidatos. O governo está seguro da reeleição, uma vez que seus principais rivais políticos foram presos, exiliados ou impedidos de se candidatar. O principal desafio de Maduro será garantir uma alta participação do eleitorado para legitimar um governo acusado por opositores e parte da comunidade internacional de autoritário e antidemocrático. Os grandes partidos políticos da oposição fizeram campanha pela abstenção por considerar a eleição uma fraude.

No ato de encerramento de campanha, Maduro se dirigiu aos simpatizantes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), no poder há 18 anos, e pediu a todos que madrugassem às 5h no domingo para votar. “Quem tem aí a carteirinha de militante do PSUV, levante a mão’, disse. Ao lado dele, no palco, o craque do futebol argentino Diego Maradona lembrou que tinha tirado a dele.

De todos os candidatos à presidência, o único com alguma chance de desafiar Maduro é Henri Falcon, um ex-simpatizante de Hugo Chávez (que instalou o socialismo no poder e governou o país de 1999 até a sua morte, em 2013). Os grandes partidos da oposição consideram que ele é um traidor porque decidiu se candidatar e, assim, legitimar a eleição. Já os chavistas dizem que Flacon também traiu os ideais do socialismo para dolarizar a economia. A Venezuela vive uma profunda crise econômica, política e social, com hiperinflação, êxodo de venezuelanos para países vizinhos e desabastecimento de produtos básicos.

El Helicoide

A poucos quilômetros de distância do comício de Maduro, o pastor Javier Bertucci – um dos cinco candidatos à presidência – foi até a porta de El Helicoide para, segundo ele, prestar solidariedade aos presos políticos. Mas ele foi expulso pelos parentes dos amotinados. Eles denunciaram maus tratos, torturas e abusos por parte das autoridades da prisão, que se recusaram a soltar 11 deles – apesar da Justiça já ter determinado a libertação.

“Isso não é campanha, isso é justiça”, gritavam os parentes e amigos dos presos políticos. A rebelião em El Helicoide começou depois que um prisioneiro levou uma surra, supostamente de um grupo de presos comuns. As imagens do estudante de engenharia Gregory Sanabria, com o rosto ensanguentado, circularam nas redes sociais. Ele foi detido durante os protestos de 2014 e até hoje não foi julgado.

Na porta do El Helicoide, Patricia Ceballos, mulher do ex-prefeito de Táchira, Daniel Ceballos, preso há quatro anos, contou que os prisioneiros políticos ocuparam os corredores e as áreas comuns para “denunciar a tortura e brutal agressão a Gregory Sanabria”. Eles também exigiram a presença do procurador-geral, Tarek Saab, que assegurou que todos estavam bem – inclusive o missionário mórmon Joshua Holt, que foi detido há dois anos com a mulher e gravou um vídeo pedindo ajuda ao governo dos Estados Unidos.

Edição: Amanda Cieglinski

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212