Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 EUA condenam “eleições fraudulentas” na Venezuela - Jornal Brasil em Folhas
EUA condenam “eleições fraudulentas” na Venezuela


O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, condenou hoje (21) o que chamou de “eleições fraudulentas” ocorridas na Venezuela durante o dia de ontem. Segundo Pompeo, o processo foi “um ataque à ordem constitucional e uma afronta à tradição da democracia na Venezuela”.

Em nota, Pompeo afirmou que Maduro falhou em defender o direito do povo venezuelano à democracia previsto na Carta Democrática Interamericana e que “os Estados Unidos ficam ao lado das nações democráticas em apoio ao povo venezuelano e vão estabelecer rápidas medidas econômicas e diplomáticas para apoiar a restauração dessa democracia.

O secretário de Estado também disse que, até que o governo de Maduro retome o caminho da democracia na Venezuela por meio de eleições “livres, justas e transparentes”, seu governo terá de encarar isolamento da comunidade internacional. Pompeo acusou o governo venezuelano de, segundo ele, em uma de suas ações “mais desprezíveis”, racionar a distribuição de comida para “manipular os votos de venezuelanos famintos”.

Ainda segundo a nota do secretário de Estado, o processo foi coreografado por um “regime muito impopular e com muito medo do seu próprio povo para arriscar eleições livres e [uma] competição aberta”. Pompeo também acusa Maduro de suprimir a imprensa, aparelhar as Cortes venezuelanas e o Conselho Eleitoral Nacional com membros parciais alinhados ao governo, que, segundo ele, “silenciou vozes dissidentes”. “Ele [Maduro] baniu os maiores partidos de oposição e líderes de participarem [do pleito]”.

Segundo o departamento de Estado norte-americano, até 14 de maio deste ano, mais de 338 pessoas continuam presas na Venezuela na condição de presos políticos.

Nas eleições deste domingo, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi reeleito para mais seis anos de mandato com 67,7% dos votos. O segundo colocado, o oposicionista Henri Falcón, recebeu 21,1%. Nesta segunda-feira, o Brasil e mais 13 países ( Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e Santa Lúcia), que integram o Grupo de Lima, informaram que não reconhecem a legitimidade das eleições venezuelanas.

Edição: Fábio Massalli

 

Últimas Notícias

Temer sanciona MP 846 e o Brasil tem as apostas esportivas legalizadas
Defesa deve pedir hoje prisão domiciliar para João de Deus
Instituições financeiras reduzem previsão de déficit primário em 2018
Valor do seguro obrigatório cairá 63,3% em 2019
Eletrobras: suspensão de leilão se estende a Amazonas Energia
BNDES voltará a subscrever ações de empresas
Juros do cheque e empréstimo pessoal em 2018 foram menores que em 2017
São Paulo fecha ano com 9,9 milhões de empregos formais no comércio

MAIS NOTICIAS

 

Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 36 milhões
 
 
Câmara aprova incentivos fiscais a Sudene, Sudam e Centro-Oeste
 
 
Governadores discutem hoje segurança pública; Moro deve participar
 
 
Doria diz a Moro que estados precisam de recursos para a segurança
 
 
João de Deus afirma estar à disposição da Justiça
 
 
CGU recupera R$ 7,23 bilhões para os cofres públicos este ano

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212