Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venezuela deve enfrentar inflação de 13.000% este ano - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela deve enfrentar inflação de 13.000% este ano


Dona das maiores reservas mundiais de petróleo, a Venezuela tem visto a sua economia encolher durante o mandato do presidente Nicolás Maduro. De 1913 até este ano, o Produto Interno Bruto (PIB) venezuelano foi reduzido pela metade, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), que prevê uma inflação superior a 13.000% em 2018 e um índice de desemprego de 36% até 2022.

Superar a grave crise econômica, social e política será o maior desafio de Maduro. O que se passa na Venezuela também preocupa os países vizinhos, que estão enfrentando uma crise humanitária na região, pois eles não têm estrutura para absorver os milhares de venezuelanos que fogem da hiperinflação e do desabastecimento.

A comunidade internacional acompanha com atenção e cuidado os desdobramentos na Venezuela, inclusive na análise sobre a possibilidade de impor sanções ao governo de Maduro, cobrar a preservação dos direitos humanos e a autonomia dos três Poderes.

Histórico

Em 2013, quando Maduro assumiu o posto pelas mãos do amigo e padrinho Hugo Chávez (1999-2013), o preço do barril de petróleo despencou no mercado internacional, e como o produto representa 95% das exportações venezuelanas, a economia sofreu duro golpe.

A crise econômica repercutiu no cenário político: em 2015, pela primeira vez desde a chegada do chavismo ao poder, a oposição saiu vitoriosa das eleições legislativas. Desde então, Maduro – com o apoio do Poder Judiciário – tem impedido o Parlamento de legislar e a oposição de convocar um referendo revogatório (mecanismo previsto pela Constituição para reduzir o mandato presidencial se o eleitorado estiver descontente).

A economia vive um drama histórico, a dependência do petróleo – algo que os chavistas não mudaram em 18 anos de governo. Chávez aproveitou a bonança petrolífera para emitir títulos de dívida soberana – uma dívida que Maduro agora tem dificuldade para pagar. Anos de falta de investimento também comprometeram a produção de petróleo da Venezuela, que em 2017 caiu 13%.

Edição: Renata Giraldi e Graça Adjuto

 

Últimas Notícias

Saúde libera recursos para atender moradores da região de Brumadinho
Justiça determina prisão preventiva de acusado de espancar paisagista
Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência
Flamengo pede mais prazo para decidir sobre indenização de vítimas
Profissionais que atuaram em Brumadinho serão monitorados
Auditores descobrem 158 Kg de cocaína na fronteira com a Bolívia
Governo determina medidas de precaução para barragens em todo o país
Bolsonaro irá ao Congresso entregar texto da reforma da Previdência

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212