Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Venezuela deve enfrentar inflação de 13.000% este ano - Jornal Brasil em Folhas
Venezuela deve enfrentar inflação de 13.000% este ano


Dona das maiores reservas mundiais de petróleo, a Venezuela tem visto a sua economia encolher durante o mandato do presidente Nicolás Maduro. De 1913 até este ano, o Produto Interno Bruto (PIB) venezuelano foi reduzido pela metade, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), que prevê uma inflação superior a 13.000% em 2018 e um índice de desemprego de 36% até 2022.

Superar a grave crise econômica, social e política será o maior desafio de Maduro. O que se passa na Venezuela também preocupa os países vizinhos, que estão enfrentando uma crise humanitária na região, pois eles não têm estrutura para absorver os milhares de venezuelanos que fogem da hiperinflação e do desabastecimento.

A comunidade internacional acompanha com atenção e cuidado os desdobramentos na Venezuela, inclusive na análise sobre a possibilidade de impor sanções ao governo de Maduro, cobrar a preservação dos direitos humanos e a autonomia dos três Poderes.

Histórico

Em 2013, quando Maduro assumiu o posto pelas mãos do amigo e padrinho Hugo Chávez (1999-2013), o preço do barril de petróleo despencou no mercado internacional, e como o produto representa 95% das exportações venezuelanas, a economia sofreu duro golpe.

A crise econômica repercutiu no cenário político: em 2015, pela primeira vez desde a chegada do chavismo ao poder, a oposição saiu vitoriosa das eleições legislativas. Desde então, Maduro – com o apoio do Poder Judiciário – tem impedido o Parlamento de legislar e a oposição de convocar um referendo revogatório (mecanismo previsto pela Constituição para reduzir o mandato presidencial se o eleitorado estiver descontente).

A economia vive um drama histórico, a dependência do petróleo – algo que os chavistas não mudaram em 18 anos de governo. Chávez aproveitou a bonança petrolífera para emitir títulos de dívida soberana – uma dívida que Maduro agora tem dificuldade para pagar. Anos de falta de investimento também comprometeram a produção de petróleo da Venezuela, que em 2017 caiu 13%.

Edição: Renata Giraldi e Graça Adjuto

 

Últimas Notícias

Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem
PF prende suspeitos de ligações com facções criminosas em sete estados

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212