Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Governo reduz estimativa de crescimento para 2,5% em 2018 - Jornal Brasil em Folhas
Governo reduz estimativa de crescimento para 2,5% em 2018


O governo federal modificou a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, para 2,5%, em 2018. A projeção está no Relatório de Despesas e Receitas do segundo bimestre (março e abril), apresentado nesta terça-feira (22). Nos dois primeiros meses do ano, a expectativa de crescimento da economia era de 3%. Com isso, o valor do PIB nominal estimado pelo governo é R$ 6,968 trilhões.

Também houve mudanças na projeção da inflação para o ano, medida pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA). Em relação ao primeiro bimestre, quando a inflação estimada pelo governo era de 3,64%, agora a expectativa é que os preços subam, na média, cerca de 3,11%.

As projeções do governo se aproximam da estimativa do mercado financeiro, anunciada no início da semana, que também ajustou expectativas para o crescimento do PIB e variação da inflação.

A redução na expectativa do PIB deste ano foi atribuída a uma queda no consumo de serviços no primeiro trimestre, que fechou o período abaixo da projeção inicial. “Como o primeiro trimestre foi um pouquinho abaixo do previsto, e o PIB do ano inclui o primeiro trimestre, tem essa revisão do PIB para baixo”, explicou o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Fábio Kankzuc, ao assegurar que a previsão de crescimento da economia para 2019 foi reajustada para cima, passando de 3% para 3,3%.

“É uma leitura de que os sinais vitais da economia, de que o investimento, [consumo de] bens de capital, construção e bens duráveis estão super fortes, com crescimento 8% a 9%, em termos anuais”, disse.

O Banco Central já havia registrado, na semana passada, uma queda na atividade econômica do primeiro trimestre em comparação ao trimestre anterior. “A hipótese que a gente tem é que a devolução do FGTS, na liberação que ocorreu em meados do ano passado, houve um aumento desse consumo de serviços e agora ele tá caindo porque acabou esse efeito positivo”, argumentou Fábio Kankzuc.
Taxa de câmbio e petróleo

O governo prevê uma taxa média do dólar em R$ 3,35. O valor é 2,6% superior ao projetado no bimestre anterior. Na última semana, o dólar se valorizou mais de 3,8%, mas ontem (21) recuou depois de intervenção do BC no mercado de câmbio.

A previsão sobre o preço médio do barril de petróleo também foi reajustada. De acordo com o relatório, o governo estima que a cotação do barril do tipo Brent será de US$ 68,30, na média anual, um aumento de 5,1% sobre o bimestre anterior (US$ 64,98). A mudança de expectativa ocorre após a recente valorização do petróleo, depois que o governo dos Estados Unidos anunciou o fim do acordo nuclear com o Irã, que é um dos maiores produtores do combustível no planeta.

O rendimento médio dos salários foi reajustado para baixo, no Relatório de Despesas e Receitas do governo. Segundo as projeções, a massa salarial nominal vai crescer 5,12% e não 5,88%, como previsto anteriormente. Segundo o Ministério da Fazenda, este reajuste segue a previsão de crescimento menor da economia no ano.

*Matéria alterada às 13h26 para acréscimo de informações.

Edição: Maria Claudia

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212