Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Oct de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Maggi diz que governo pode ajudar setor agrícola devido à greve - Jornal Brasil em Folhas
Maggi diz que governo pode ajudar setor agrícola devido à greve


Em entrevista exclusiva hoje (29) à TV Brasil e à Agência Brasil, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, admitiu que pode ser necessário que o governo crie algum crédito ou mecanismo para ajudar o setor agrícola, que foi muito atingido pela greve dos caminhoneiros.

“Creio que sim [sobre abrir uma linha de crédito para o setor]. Alguns sofreram muito. Temos áreas que padeceram, perderam muito o plantel. E o plantel é o capital de uma empresa. Talvez tenhamos que buscar uma saída para isso junto aos órgãos oficiais, uma política mais direcionada a eles”, disse o ministro, que participa nesta terça-feira do Fórum de Investimentos Brasil, na capital paulista. “Ninguém vai dar nada de graça para ninguém, mas tudo o que aconteceu não foi por má gestão [dos produtores]”.

De acordo com Maggi, para ajudar os produtores, o governo provavelmente terá que deslocar recursos de outras áreas ou projetos. “Se nesse momento vai ser importante deslocar algum recurso para os produtores. Para eles ser organizarem, em detrimento até de um novo projeto de investimento, faremos isso sem nenhum problema. Não creio que teremos que buscar espaço fiscal para isso. É dentro do volume que temos”, disse. Segundo o ministro, isso será feito dentro da política de teto de gastos do governo. “Com o teto de gastos, estamos todos dentro da mesma caixa. Se for colocar alguém, alguém tem que sair”.

Segundo o ministro, que se reúne na tarde de hoje com representantes da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec) e da Associação Brasileira de Proteína Animal (Abpa), ainda não foi feito um levantamento do prejuízo provocado no setor pela paralisação dos caminhoneiros, mas a área mais atingida, disse ele, foi a de produção de proteína animal, que inclui a produção de aves e suínos.

“Na parte de grãos, não há nenhum problema, mas na parte de produção de proteína animal, [há] sérios problemas na atualidade e vamos ter muitos problemas para poder sair da situação que nos encontramos”, disse, ressaltando que, apesar disso, o Brasil ainda é um país seguro para investimento.

Sobre a paralisação dos caminhoneiros, o ministro disse que “isso foi uma coisa fora da curva”, mas que o Brasil precisa agora “superar”. “Traz problemas para o país? Traz, de abastecimento. E provavelmente vai ter inflação e falta de produtos em alguns lugares, mas isso faz parte do processo de um país livre, democrático, onde as pessoas podem se manifestar. Tem que juntar os cacos, aprender a lição de tudo o que aconteceu e seguir em frente”, disse.

* Com programa Cenário Econômico, da TV Brasil

Edição: Fábio Massalli

 

Últimas Notícias

BNDES empresta R$ 30 milhões para empresa de água de Manaus
Comércio do Rio poderá contratar 10,3 mil temporários para o natal
Aneel aprova reajuste de tarifa a consumidores de GO e interior de SP
Petrobras e chinesa CNPC avançam em acordo para retomar Comperj
Aprovado pela Aneel, aumento nas contas de luz da CEB está suspenso
BNDES dá início a processo de privatização de companhia elétrica do AP
Dólar fecha em queda e Bovespa sobe 2,83%
Senado rejeita projeto sobre venda de distribuidoras da Eletrobras

MAIS NOTICIAS

 

Equipe de transição deve ser definida hoje à tarde, diz Caiado
 
 
ONS vai reforçar ações de segurança energética nas eleições e no Enem
 
 
Inflação medida pelo INPC sobe para 0,30% em setembro
 
 
Universidades particulares terão disciplina sobre primeira infância
 
 
Com Enem, horário de verão começa no dia 18 de novembro
 
 
Governo anuncia recursos de R$ 600 milhões para o ensino médio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212