Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 EUA e OEA condenam violência na Nicarágua - Jornal Brasil em Folhas
EUA e OEA condenam violência na Nicarágua


O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, condenou hoje (31) a violência na Nicarágua e disse que a organização está negociando a criação de um grupo independente de especialistas para investigar os casos de violência no país. O governo dos Estados Unidos também condenou a repressão.

“Ontem, a Nicarágua passou por outro dia trágico de repressão, violência e morte. Nós condenamos as mortes levadas adiante pelas forças repressivas e as Forças Armadas e expressamos nossa solidariedade às famílias das vítimas. Nós pedimos ao Estado que pare essa violência por esses fatores repressivos”, disse Almagro.

Ele também afirmou que o único caminho politico adiante para a Nicarágua são eleições “livres, transparentes e justas que representem a vontade das pessoas”.

Pelo menos 11 pessoas morreram ontem (30) no país enquanto participavam de marchas de solidariedade às mães que perderam os filhos nos protestos.

Estados Unidos

Hoje, o governo dos Estados Unidos também condenou a violência no país. Um comunicado da porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, diz que os Estados Unidos condenam “a resposta violenta do governo da Nicarágua às marchas pacíficas do Dia das Mães em Manágua e em outras cidades ontem, incluindo ataques a mães que estavam de luto por seus filhos mortos desde que os protestos começaram no dia 18 de abril”.

Na nota, o governo também repudia a violência contra jornalistas e ataques contra redes de televisão e rádio locais. O texto pede o aprofundamento das investigações pelo grupo de especialistas da Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Em relatório do último dia 22, o grupo afirma que a série de protestos em várias cidades da Nicarágua deixou ao menos 76 mortos e 868 feridos e levou à prisão 438 civis entre estudantes, defensores de direitos humanos e ativistas.

Edição: Carolina Pimentel

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212