Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Um terço das vagas financiadas pela União no Fies é preenchida - Jornal Brasil em Folhas
Um terço das vagas financiadas pela União no Fies é preenchida


No primeiro semestre de vigência, o novo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) preencheu cerca de um terço das vagas financiadas pelo governo, chegando a 35.866.

Já a modalidade contratada junto a bancos privados, chamada P-Fies, cuja previsão é a oferta de 210 mil vagas neste ano, preencheu, até o momento, apenas 800, de acordo com o diretor-executivo da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (Abmes), Sólon Caldas.

O novo Fies foi anunciado no ano passado. O programa passou a ter uma modalidade financiada diretamente pela União, voltada para estudantes com renda familiar per capita mensal de até três salários mínimos, ou seja R$ 2.862. No total, são ofertadas 100 mil vagas nesta modalidade, das quais foram preenchidas mais de 35.866 mil no processo seletivo do primeiro semestre. Mais 16.351 vagas estão em contratação, ainda em curso, no âmbito do processo seletivo para vagas remanescentes.

As outras duas modalidades incluídas no P-Fies são financiadas com recursos de fundos constitucionais regionais e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O risco de crédito é assumido pelos bancos. As modalidades, no entanto, não foram muito procuradas no primeiro semestre.

Segundo Sólon, parte da baixa adesão ao P-Fies se deu por fatores econômicos. Com os altos índices de desemprego, os estudantes não conseguem assumir dívidas, em parte porque as regras e os sistemas ainda estavam sendo adequados para a oferta das vagas. O balanço refere-se aos números de cerca de duas semanas atrás. O processo seletivo para vagas remanescentes ainda está aberto e o número de contratos pode aumentar.

O P-Fies precisa ser melhor comunicado, tanto para agentes financeiros, quanto para instituições e para a sociedade. É preciso fazer uma campanha grande, com governo, com o setor, com bancos, para mostrar como funciona.

Para se candidatar ao P-Fies, o estudante precisa dizer, na hora da inscrição, que tem interesse na modalidade. Ele precisa, então, preencher um questionário, que será encaminhado para a análise e aprovação dos bancos.
Adesão maior no segundo semestre

Para o diretor de vendas e marketing do Pravaler, empresa que oferece financiamento estudantil, Rafael Baddini, a expectativa é que mais contratos sejam fechados no segundo semestre pelo P-Fies. Segundo Baddini, a Pravaler é responsável por cerca de 90% dos créditos aprovados pela modalidade privada.

Essa rodada foi mais de aprendizado, porque o programa estava saindo do chão. Acho que esse era o ponto mais importante. Pode não parecer, mas, por trás, você tem que ligar o sitema dos bancos com o MEC, têm portarias que precisam ser definidas. O programa saiu do chão, afirmou.

Prazo

Está aberto desde ontem (7) o prazo para que os agentes financeiros operadores de crédito, interessados em participar do P-Fies no segundo semestre, façam o cadastro na internet, no site do Fies. O prazo termina no dia 11 de junho. Já o prazo para as mantenedoras de ensino manifestarem interesse em participar do programa é de 12 a 20 de junho.
Fies

O Fies oferece financiamento para vagas em instituições privadas de ensino superior. Para concorrer às vagas, o estudante precisa ter tirado pelo menos 450 pontos na média das provas e não podem ter zerado a redação no Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), em uma ou mais edições desde 2010.

A porcentagem de financiamento é calculada de acordo com o comprometimento da renda do aluno, o valor do curso e comprometimento da renda no pagamento das aulas. O estudante deverá iniciar o pagamento no mês seguinte ao término do curso, desde que esteja empregado. O prazo máximo para pagamento é de 14 anos.

As taxas de juros do P-Fies são determinadas pela política de crédito dos fundos constitucionais administrados pelos bancos regionais.

Consultado, o Ministério da Educação diz que ainda está consolidando os dados do P-Fies, uma vez que o processo para vagas remanescentes segue aberto.

Em relação às vagas do Fies público, o ministro da Educação, Rossieli Soares, anunciou, na última quarta-feira (6), duas medidas que, segundo ele, aumentarão a atratividade para os estudantes. O aumento do teto do financiamento para abranger também cursos que custam cerca de R$ 7 mil por mês e o piso mínimo de financiamento de 50%. Até então, o sistema permitia, por exemplo, financiamentos de 8%, que não eram atrativos.

A pasta diz ainda que as vagas que não foram preenchidas este semestre serão ofertadas no processo seletivo do segundo semestre.


*A repórter viajou a convite da Abmes para acompanhar o XI Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular

Edição: Maria Claudia

 

Últimas Notícias

Jornalista e radialista Laerte Junior morre aos 52 anos
Prazo para consolidar dívidas do Refis começa nesta segunda
Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
Receita libera hoje consulta a sétimo lote de restituição do IR 2018
Intenção de investimentos da indústria cresce 4,4 pontos
Mercado reduz estimativa de inflação pela sétima vez
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
Anatel apreende mais de 126 mil produtos não certificados

MAIS NOTICIAS

 

Novo crediário para cartão é estudado para 2019, diz Febraban
 
 
Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
 
 
Diálogo Brasil debate projeto Escola sem Partido
 
 
Brasileiro é eleito para Associação Internacional de Seguridade Social
 
 
Polícia e MP de Goiás vão apurar denúncias contra médium João de Deus
 
 
ONG homenageia policiais militares mortos no estado do Rio

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212