Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 BNDES continuará a investir em empresas iniciantes - Jornal Brasil em Folhas
BNDES continuará a investir em empresas iniciantes


O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) dará sequência à política de venda de participações em empresas já consolidadas, para investir em empreendimentos que estejam iniciando sua atuação empresarial, informou hoje (11) o presidente da instituição Dyogo Oliveira, na cerimônia de abertura do seminário Mercado de Capitais Brasileiro, na sede do Tribunal de Contas da União (TCU), em Brasília.

Segundo o presidente do BNDES, a atuação do banco no mercado de capitais, feita por meio da subsidiária BNDES Participações (BNDESPAR), é ampla, por ver nesse mercado “um dos mecanismos mais importantes” para o desenvolvimento do país.
Entrevista com o presidente do BNDES, Dyogo Oliveira.

Presidente do BNDES, Dyogo Oliveira, disse que dará sequência à política de venda de participações em empresas já consolidadas (Wilson Dias/Agência Brasil)

Dyogo Oliveira explicou que o BNDES pretende vender as participações nas empresas já consolidadas, para atuar em empresas iniciantes. “Nosso papel é fazer com que empresas se desenvolvam e beneficiem o país”, acrescentando que para o BNDES “são negócios de risco que, com o tempo, acabam se revelando, principalmente quando se trata de empresas nascentes”.
Juros

No mesmo evento, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago, disse que essa tendência do BNDES, em meio ao cenário de juros em baixa, resultará em uma necessidade maior de o banco assumir mais riscos em seus investimentos.

No entanto é importante que haja compreensão de que este é um negócio de maior risco, mas uma empresa que dá certo já justifica todo o investimento e o esforço nas demais”, disse o ministro.

De acordo com Esteves Colnago, os riscos para o BNDES são maiores em períodos como o atual, no qual as taxas de juros são menores, devido ao fato de boa parte dos lucros dos bancos estar associada aos juros por eles cobrados.

“Nessa realidade de taxas de juros mais baixas, o BNDES terá de assumir mais riscos para promover e catalisar o mercado de capitais”, acrescentou Colnago. Atualmente, a taxa básica de juros, a Selic, está em 6,5% ao ano.

Edição: Fernando Fraga

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212