Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Jun de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 São Paulo faz campanha contra trabalho infantil durante jogos da Copa - Jornal Brasil em Folhas
São Paulo faz campanha contra trabalho infantil durante jogos da Copa


A organização não governamental (ONG) Cidade Escola Aprendiz abre hoje (12), Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, a campanha Copa Sem Trabalho Infantil.

A campanha faz parte do projeto Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil, especializado no combate ao trabalho infantil e na defesa dos direitos humanos, desenvolvido em parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT).

Em dois bairros paulistanos – Vila Madalena e Vila Olímpia – profissionais de assistência social fazem uma caminhada na qual distribuem material informativo sobre o trabalho de crianças e adolescentes no comércio ambulante durante os jogos. Em parceria com a prefeitura, os assistentes sociais abordam frequentadores de bares e restaurantes para explicar o que é trabalho infantil, quais são os canais de denúncia e como pedir a intervenção da prefeitura caso vejam crianças e adolescentes vendendo balas e outras mercadorias.

Segundo a Cidade Escola Aprendiz,2,7 milhões de crianças e adolescentes de 5 a 17 anos trabalham no Brasil. De 2007 até o ano passado, 40.849 acidentaram-se enquanto trabalhavam. Destes, 236 morreram e 24.654 feriram-se com gravidade, informou a ONG.

“Em época de Copa do Mundo, os bares costumam receber mais clientes que de costume. Com o aumento do número de frequentadores, o comércio de ambulantes cresce de forma proporcional. Entre os vendedores, há um número expressivo de crianças e adolescentes que não pode passar despercebido da sociedade e das autoridades públicas”, afirmou o articulador social do projeto Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil, Felipe Tau.

De acordo com a ONG, a maioria das crianças e adolescentes vítimas de acidentes de trabalho desempenha tarefas que o Decreto 6.481/2008 considera as piores formas de trabalho infantil, que são proibidas para menores de 18 anos. Eles trabalham como empregados domésticos, no comércio, na agricultura, na construção civil e como açougueiros, entre outras atividades.

Em uma ação paralela à abordagem dos consumidores de bares e restaurantes, as equipes de assistência social vão orientar parentes e responsáveis por crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil e encaminhar os casos que forem encontrados aos serviços especializados de assistência social existentes na cidade. O encaminhamento será feito conforme o endereço de origem da criança ou adolescente.

A campanha prevê mais ações até o fim dos jogos da Copa da Rússia, no dia 14 de julho, com a disseminação de informações sobre o trabalho infantil e como combatê-lo, distribuição de cartazes para donos e funcionários de bares, para sensibilizá-los para a questão e instruí-los sobre o que fazer diante dos casos encontrados.

Edição: Nádia Franco

 

Últimas Notícias

Desaprovação a Bolsonaro sobe a 64%. Pior situação é a de Alckmin
PT lança pré-candidatura de Kátia Maria ao Governo de Goiás
Copa chega ao 10º dia com jogo da Alemanha; acompanhe
Trump ameaça sobretaxar carros europeus em 20%
Inadimplência em condomínios abre espaço para venda das dívidas
Dólar sobe mesmo com atuação do BC; Bovespa fecha em alta
Tesouro Direto registra décimo mês seguido de saques
BC anuncia mais injeção de dólares no mercado de câmbio

MAIS NOTICIAS

 

Copa chega ao 10º dia com jogo da Alemanha; acompanhe
 
 
Trump ameaça sobretaxar carros europeus em 20%
 
 
Inadimplência em condomínios abre espaço para venda das dívidas
 
 
Tesouro Direto registra décimo mês seguido de saques
 
 
BC anuncia mais injeção de dólares no mercado de câmbio
 
 
Cade aprova venda de 80% do Walmart Brasil para fundo americano

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212