Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Trump e Kim Jong-un dão início a uma “relação muito especial” - Jornal Brasil em Folhas
Trump e Kim Jong-un dão início a uma “relação muito especial”


Triunfante ao lado de Kim Jong-un em sua túnica Mao Tsé-Tung, o presidente Donald Trump anunciou uma nova era para as Coreias e o mundo. Olhando a quem tratava por fogueteiro, e que o chamava de caquético, ele também disse que o encontro permitiu o início de uma relação muito especial entre os dois.

Um acordo de princípio foi assinado, com a meta de tornar a península coreana totalmente desnuclearizada e garantir a segurança da Coreia do Norte. Os Estados Unidos deverão acabar com os exercícios militares provocativos com a Coreia do Sul, agora considerados uma boa economia.

O prisioneiro americano Otto Warmbier, libertado em coma em Pyongyang, e morto após chegar aos Estados Unidos, foi lembrado: “Ele não morreu em vão”. A lembrança foi feita para indicar que no encontro também se falou de direitos humanos. Trump se dizia orgulhoso do que acabava de conseguir e que nenhum presidente americano jamais havia conseguido.

A caminho da cúpula de Cingapura, Trump se distanciou de seus aliados no Grupo dos 7 (formado por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido), ofendeu o primeiro-ministro canadense e pediu a reintegração da Rússia ao grupo que era dos 8, antes da tomada a Crimeia.

Com a nova amizade com Kim, e com a defesa de Putin, Trump tende a estabelecer uma nova ordem mundial – para muitos, uma desordem, com o fim de tratados multilaterais de comércio, do clima e de segurança.

“Hoje tivemos um encontro histórico e decidimos deixar o passado para trás”, comentou Kim, por meio de um intérprete. “O mundo inteiro verá uma grande mudança”.

A noite na Ásia prosseguiu embandeirada, com apertos de mãos e esperanças no ar. O presidente da Coreia do Sul comentou que nem conseguia dormir. O livro A Arte de Negociar, escrito por Trump, pode agora virar best-seller. Mas o que ele espera mesmo é levantar o Nobel da Paz deste ano.


*O jornalista Moisés Rabinovici é comentarista da Rádio Nacional e apresentador do programa Um olhar sobre o Mundo, na TV Brasil.

Edição: Kleber Sampaio

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212