Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Interventor do Rio entrega plano de gestão estratégica a Temer - Jornal Brasil em Folhas
Interventor do Rio entrega plano de gestão estratégica a Temer


O interventor federal na segurança pública do Rio de Janeiro, general Walter Braga Netto, entregou hoje (14), formalmente, o plano de gestão estratégica da intervenção ao presidente Michel Temer. Braga Netto disse que também apresentou ao presidente dados positivos da intervenção no estado. Ele citou que, entre abril e maio, houve queda de 11,8% nos casos de homicídio doloso, de 5,9% no roubo de veículos e de 15,7% em roubos de carga.

“Mostramos ao presidente alguns resultados que foram obtidos nessa fase da intervenção”, disse o general. O plano tem cinco objetivos estratégicos que são: reduzir os índices de criminalidade; recuperar a capacidade operativa dos órgãos de segurança pública do Rio de Janeiro; articulação das instituições dos entes federados; fortalecimento do caráter institucional da segurança pública e do sistema prisional; e melhoria da qualidade e da gestão do sistema prisional.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que com a intervenção foi preciso sair praticamente da destruição das forças de segurança do Rio de Janeiro para reestruturá-las e assim alcançar resultados. Os números anteriores indicavam a redução da velocidade do crescimento [da criminalidade no Rio]. Afora a questão dos indicadores de confronto entre bandidos e policiais, que isso realmente aumentou, os outros indicadores que tive acesso caem. Cai roubo de carga, homicídio doloso. O que está a indicar, embora tenhamos que observar os próximos meses, que de fato começa a aparecer os resultados dentro daquilo que esperávamos, disse.
Mudança no Gabinete de Intervenção

Braga Netto também comentou a saída do general de divisão Mauro Sinott que deixou o cargo de secretário do Gabinete de Intervenção Federal, órgão que assumiu a segurança pública no Rio de Janeiro em fevereiro deste ano. Segundo ele, a saída do general não foi motivada por desavenças.

“A saída do segundo homem da intervenção não foi por nenhuma desavença. Ele saiu porque já estava previsto e eu segurei-o por mais tempo”, disse.

Edição: Fábio Massalli

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212