Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Jungmann diz que são compreensíveis críticas da Cultura e Esporte - Jornal Brasil em Folhas
Jungmann diz que são compreensíveis críticas da Cultura e Esporte


O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse hoje (13) que são “compreensíveis” as críticas das pastas da Cultura e do Esporte sobre a destinação de parte dos recursos das loterias federais para a segurança pública. Jungmann disse que com o teto de gastos, no entanto, será preciso tirar de uma área para ampliar a dotação de outra.

“A Presidência da República junto com a área econômica está buscando alternativas para atenuar essa transferência. Agora, vamos nos acostumar com isso porque doravante ampliar recursos numa área significa ter que tirar de outra”, disse em entrevista a jornalistas após participar do Seminário Nacional de Segurança Pública.

Com o teto de gastos não temos como fazer uma suplementação como anteriormente. Agora para ampliar a dotação de uma área tem que tirar de outra.

Na segunda-feira (11), o presidente Michel Temer sancionou o projeto que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e assinou a medida provisória que direciona parte da arrecadação com as loterias federais para a segurança pública. Para este ano, serão R$ 800 milhões apenas dessa fonte e a estimativa é que, em 2022, os recursos cheguem a R$ 4,3 bilhões.

Na terça-feira (12) os ministérios da Cultura e do Esporte divulgaram notas se queixando que a destinação para a segurança pública vai reduzir recursos recebidos das loterias pelas pastas.

Jungmann, disse que, no caso do Esporte, o que foi tirado não atinge o esporte paralímpico, nem o Comitê Olímpico Brasileiro. Ele acrescentou que os recursos a serem repassados para a segurança pública estavam contingenciados, ou seja, que o ministério não podia efetivamente gastar. Jungmann afirmou que na área da Cultura ocorre o mesmo que no Esporte.
Ministério

O ministro Jungmann informou que hoje (13) deve ser votada na Câmara dos Deputados a medida provisória que criou o Ministério Extraordinário da Segurança Pública. Segundo Jugmann, uma emenda vai tirar o termo “extraordinário” e a pasta se tornará definitiva. “Com a retirada do “extraordinário” o Congresso Nacional o coloca no mesmo nível dos demais ministérios. Ou seja, ele não tem mais uma limitação temporal. Passa a ser regular, ordinário”, disse.

O ministro disse entender que quem for o futuro presidente do país não vai “passar a borracha” nesse ministério. Segundo Jungmann, é uma “exigência” que os brasileiros fazem em termos de segurança pública. “Portanto, daqui para frente ministério regular, ordinário e sem data para ser encerrado”, disse.

Em discurso no Seminário Nacional de Segurança Pública, o presidente Michel Temer destacou a importância do Ministério da Segurança Pública. “Se o Congresso Nacional, que sempre colaborou conosco, traz a ideia de fazê-lo definitivo, creio que se deve primeiro à compreensão da importância da segurança pública para o país”.

Concurso público

O ministro Raul Jungmann anunciou que assina hoje (13) o edital para a abertura de concurso público com 500 vagas para a Polícia Federal. Serão 150 vagas para delegado, 60 para peritos criminais, 180 para agentes, 80 para escrivães e 30 para papiloscopistas.

“Estamos cumprindo uma promessa feita no dia de nossa posse de reforçar com recursos humanos que são escassos e que precisam ser renovados na nossa Polícia Federal, que cumpre um papel essencial em defesa da lei, da vida e dos direitos dos brasileiros”, disse Jungmann.

Edição: Fernando Fraga

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212