Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Firjan lança estudo sobre exploração de óleo e gás em áreas terrestres - Jornal Brasil em Folhas
Firjan lança estudo sobre exploração de óleo e gás em áreas terrestres


Com o objetivo de estimular a volta de investimentos em projetos de exploração de campos de petróleo e gás em áreas terrestres (onshore) foi lançado hoje (26) pelo Sistema Firjan (Federação de Indústrias do Rio de Janeiro), o estudo Ambiente Onshore de Petróleo e Gás no Brasil 2018, em parceria com a Organização Nacional da Indústria do Petróleo (Onip).

“Esse é um mercado que pretendemos criar para os fornecedores que operam no Rio. A motivação é a criação de mercados para os nossos fornecedores e mais federações [de indústria] foram envolvidas, entre elas Espírito Santo, Maranhão, Sergipe e Amazonas, no sentido de construir um mercado que vai demandar das nossas empresas”, afirmou a gerente de Petróleo, Gás e Naval do Sistema Firjan, Karine Fragoso, em entrevista à Agência Brasil.

O estudo recebeu contribuições de 15 instituições e quatro empresas por meio de artigos e de apoio na elaboração da publicação, como o Ministério de Minas e Energia, Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que elaborou o mapa das áreas terrestres e marítimas que passam a ser incluídas na oferta permanente anunciada pelo órgão regulador. Houve a participação ainda da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Petróleo.

Segundo Karine Fragoso, o trabalho apontou que, embora haja um cenário de grande potencial econômico para uma região de campos terrestres, que costuma receber investimentos, o que vem se registrando é a queda na produção dessas áreas, justamente pela falta de aplicações em projetos. A gerente lembrou que enquanto há campos da Petrobras em áreas do pré-sal em que a produção pode chegar a 20 mil barris/dia, outras em onshore (terrestre) brasileiro, não passam em média de 17 barris/ dia.

Karine Fragoso acrescentou que o esforço agora é trabalhar essas áreas terrestres para atrair novos investidores que permitam produzir os efeitos esperados nesses locais até chegar ao óleo, mas passando por toda a cadeia produtiva. “Aí vai trazer reflexos positivos para todo o entorno e para o encadeamento produtivo que, no Brasil, sofreu com a baixa de demanda bastante significativa. Essas empresas tiveram que reduzir os seus quadros e têm capacidade ociosa capaz de atender ao mercado”.

Na visão da gerente, a falta de investimentos neste segmento é resultado não só da queda do preço do barril no mercado global, mas ainda pelas variáveis de mudança de contexto interno do Brasil e da Petrobras, que está focando na produção na área do pré-sal. Mas ao mesmo tempo, ponderou, a decisão da estatal abre espaço para que investidores de menor porte possam se interessar pelas áreas terrestres que são menos complexas.

“O ambiente terrestre é uma condição mais amena, menos agressiva que o offshore [no mar], portanto, uma condição que não demandaria operadoras não tão grandes, mas as menores. O onshore brasileiro tem uma capacidade também de construção e estruturação do encadeamento de médias e pequenas empresas, tanto fornecedoras de bens e serviços, como investidoras e produtoras de óleo e gás nesse ambiente”, apontou.

Karine destacou que a Colômbia também realizou um projeto de oferta permanente de áreas em que os investidores podem fazer um lance a qualquer momento, como a ANP lançou aqui no Brasil e representou um sucesso. “Isso dinamizou muito a economia da Colômbia no ambiente onshore. A Colômbia, na gíria, está bombando no onshore e, enquanto isso, nós que estávamos no mesmo patamar, neste mesmo período, viemos caindo de produção”, disse.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Deputado Marlúcio promove caminhonetadas em várias regiões de Aparecida
Dia da Árvore: desmatamento vem caindo, mas ainda há desafios
Brincar com os quatro elementos da natureza ajuda a criança a se desenvolver melhor
Meninas que praticam esportes, cuidado com a alimentação!
Indústria paulista fecha 2,5 mil postos de trabalho em agosto
Aneel descarta revisão de bandeira tarifária em conta de luz
BNDES: empréstimos para Cuba e Venezuela não deveriam ter sido feitos
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212