Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Obama viaja para a Argentina com agenda oficial bastante atribulada - Jornal Brasil em Folhas
Obama viaja para a Argentina com agenda oficial bastante atribulada


Reuniões oficiais, um jantar de gala e uma homenagem às vítimas da última ditadura na Argentina fazem parte da volumosa agenda que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, terá no país sul-americano, aonde chegará nesta quarta-feira.

Obama deve aterrissar no aeroporto internacional de Ezeiza, nos arredores de Buenos Aires, a bordo do avião oficial Air Force One, pouco depois da meia-noite local (mesmo horário de Brasília), vindo de Cuba.

Devido à iminente chegada do chefe de Estado americano, o governo argentino elevou nesta terça-feira o nível de alerta das forças de segurança por causa dos atentados terroristas ocorridos em Bruxelas.

Obama começará sua atividade oficial na manhã de quarta-feira, com uma visita à Casa Rosada, onde será recebido pelo presidente argentino Mauricio Macri.

Os dois governantes manterão uma reunião na sede do Executivo argentino e oferecerão depois uma entrevista coletiva conjunta.

Durante a tarde, Obama assistirá a uma cerimônia na Catedral de Buenos Aires e, posteriormente, participará de uma atividade na Usina del Arte, um espaço cultural da prefeitura da capital argentina.

De acordo com o embaixador dos Estados Unidos na Argentina, Noah Mamet, Obama realizará no espaço cultural um encontro aberto com perguntas abertas e sem filtro, formuladas por jovens empreendedores e estudantes.

A primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, também terá sua própria agenda, marcada por uma atividade dedicada à iniciativa Let Girls Learn (Deixem as meninas aprender, tradução livre), destinada a promover a educação e a liderança entre as jovens.

O primeiro dia da visita da família presidencial americana terminará com um jantar de gala oferecido por Macri no Centro Cultural Kirchner (CCK), em Buenos Aires.

A visita de Obama coincide com o 40º aniversário do golpe de Estado na Argentina que deu origem à última ditadura no país em 24 de março de 1976, o que gerou críticas de organizações de direitos humanos, devido à relação de Washington com a repressão militar na América do Sul.

A rejeição inicial das organizações, no entanto, foi em parte atenuada pelo anúncio de que os Estados Unidos desclassificarão seus arquivos sobre a ditadura. Além disso, o governo argentino manterá aberta a Praça de Maio, que fica em frente à Casa Rosada, para que as associações realizem sua tradicional manifestação de 24 de março.

Apesar disso, a presença de Obama na Argentina, a primeira visita oficial de um presidente americano desde a viagem de Bill Clinton em 1997, tem ampla aceitação na sociedade argentina.

Segundo uma pesquisa realizada pelo instituto Poliarquía Consultores, 44% dos entrevistados considera que a presença do presidente dos Estados Unidos será benéfica para a Argentina.

Apesar de 53% dos entrevistados acreditarem que Obama não deverá fazer alguma referência ao golpe de Estado, espera-se que, no início de seu segundo dia na Argentina, o presidente americano se dirija ao Parque da Memória, um prédio situado em frente ao Rio da Prata, onde oferecerá uma homenagem às vítimas da ditadura.

Depois, Obama desfrutará com sua família de um dia de descanso na cidade turística de Bariloche, um destino que é muito popular entre os brasileiros, localizada na província de Río Negro.

Finalmente, Obama voltará a Ezeiza na noite de quinta-feira, para partir rumo aos Estados Unidos.

A viagem é um gesto muito importante para o governo argentino, porque mostra o interesse e a prioridade que Obama coloca na gestão do presidente Macri, conforme comentou nesta segunda-feira a chanceler do país sul-americano, Susana Malcorra.

A funcionária argentina também acrescentou que a visita de Obama estará manchada pelo impacto dos atentados em Bruxelas, o que trará o foco para a questão da preocupação pelo extremismo violento.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212