Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Abr de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Desigualdade social contribui para o círculo vicioso da corrupção - Jornal Brasil em Folhas
Desigualdade social contribui para o círculo vicioso da corrupção


O ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, disse que a desigualdade social no país contribui para o círculo vicioso da corrupção. Ele participou hoje (4) do Fórum do jornal O Estado de S. Paulo sobre compliance, na capital paulista.

Para o ministro, as experiências de outros países que viveram o mesmo problema mostram que grandes crises – como a que o Brasil vive – são comuns antes que se deixe a corrupção para trás. Ele explica que o círculo vicioso inclui de desconfiança generalizada da população em seus líderes à lógica particularista. “Isso [lógica particularista] explica os agentes envolvidos em corrupção, porque eles não entendem o dinheiro como da sociedade”, disse.

Outro fator que intensifica o círculo vicioso é a forte polarização de pensamentos na sociedade brasileira atual. “Ou você é Flamengo ou Vasco, ou direita ou esquerda, o que dificulta muito o diálogo racional, fica difícil buscar um consenso”, declarou. O ministro defendeu que a população tenha mais acesso à informação e mais certeza da existência de planos e medidas reais por parte do governo com objetivo, “se não de eliminar, mas detectar os casos de corrupção”.

Portal da Transparência

Segundo o ministro, a CGU respondeu 99% dos pedidos de informações recebidos via Lei de Acesso à Informação em 2017. No total, foram 560 mil pedidos, sendo que o canal levou, em média, 14 dias para responder à demanda. “Se você não responde em 60 dias, você não sabe se é [uma resposta] negativa ou se é ineficiência do governo”.

No ano passado, o Portal da Transparência recebeu 21 milhões de visitas. De acordo com o ministro, a página está com interface mais direta, mais interativa e navegação intuitiva. Além de dados sobre o governo federal, é possível obter informações em âmbitos estadual e municipal. Estados e municípios são incentivados pela CGU a manter as medidas de transparência atualizadas.

Cartão corporativo e salários

Wagner Rosário destacou a importância do uso do cartão corporativo para a transparência. “Uma das ferramentas mais inteligentes são os gastos com cartão corporativo, que é rastreável e você sabe onde foi gasto”. Em 2007, segundo o ministro, foram pagos 70 milhões nos cartões, valor “muito pequeno” tendo em vista o total de gastos do governo federal. Assim que foi disponibilizado o extrato dos cartões, no ano seguinte, os gastos caíram para 55 milhões. “Porque as pessoas tinham receio de que vejam com o que elas estavam gastando”.

Outro exemplo foi a abertura dos salários de servidores públicos, muito questionada inicialmente. “Depois que colocou, acabou a discussão, as dúvidas que existiam ficaram para trás. Nada mais justo que as pessoas saibam quanto cada uma delas recebe”, disse o ministro.

Edição: Valéria Aguiar

 

Últimas Notícias

Ex-presidente do Peru tenta se matar ao receber ordem de prisão
Ex-presidente do Peru está em estado grave após tentativa de suicídio
Governo argentino lança pacote de medidas para combater inflação
PRF apreende no Rio 300 mil maços de cigarros contrabandeados
Famílias de baixa renda de Brumadinho recebem auxílio emergencial
Governo autoriza uso da Força Nacional para segurança na Esplanada
Chega a 18 número de mortos no desabamento no Rio de Janeiro
Fachin pede manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - EXPEDIENTE