Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Programa para compra de aparelhos de segurança já tem 34 adesões - Jornal Brasil em Folhas
Programa para compra de aparelhos de segurança já tem 34 adesões


O secretário nacional de segurança pública, Flávio Basílio, disse hoje (3) que 34 órgãos de segurança municipais e estaduais, de um total de 57, já se inscreveram no programa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que prevê a disponibilização de R$ 42 bilhões para a aquisição de equipamentos de segurança.

A compra dos aparelhos, que inclui drones, coletes à prova de bala, dispositivos elétricos e viaturas, será feita por meio de uma ata de registro de preço, um tipo de licitação pública que pode ser aderido por diferentes órgãos públicos. Além dessa linha de financiamento, a área de segurança pública ganhou outra fonte específica, com o reforço de recursos das loterias para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), que só este ano deverão ser de R$ 800 milhões. A previsão do governo é que, até 2022, esse fundo atinja R$ 4,3 bilhões por ano.

A gente passa a ter recursos previsíveis para a segurança pública, afirma Basílio. Além do FNSP, outra fonte de financiamento para o setor é o Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), voltando principalmente à construção e reforma de unidades prisionais, que tem recursos estimados na ordem de R$ 1,3 bilhão este ano.

Pela nova legislação, governadores e prefeitos só terão acesso aos recursos federais se aderirem ao SUSP e acertarem metas de redução das taxas de criminalidade, de formação e qualificação de policiais, além de abastecerem o banco de dados nacional sobre segurança.

Prioridade

O secretário executivo do Ministério da Segurança Pública, Luis Carlos Cazetta, disse hoje que a prioridade do governo federal é editar um decreto que institui o Conselho Nacional de Segurança Pública e Defesa Social e apresentar um Plano Nacional de Segurança para os próximos 10 anos. Ambas as medidas estão previstas na Lei 13.645/2018, que instituiu o Sistema Nacional de Segurança Pública (SUSP). Segundo a nova lei, o SUSP passa a existir a partir do dia 10 de julho.

Essa operação legislativa foi um grande avanço para a integração de todas as ações de segurança pública no país. A instalação do Conselho Nacional, como exemplo do que deve ocorrer nos estados e municípios, é a primeira providência prática. Obviamente, a lei terá um decreto que regulamentará essa providência, afirmou. Segundo a lei, os conselhos (federal, estaduais e municipais) serão integrados pelos órgãos de segurança, Poder Judiciário, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), além de representantes de organizações da sociedade civil.

Cazetta não deu prazo para a publicação do decreto e apresentação do plano. Com base no plano nacional, estados e municípios também terão que apresentar seus projetos decenais para a segurança. Em todos os casos, os planos deverão ser aprovados pelos respectivos conselhos, do nacional ao municipal.

O Brasil nunca teve um plano decenal [na área de segurança]. O plano vai vir do Conselho Nacional de Segurança Pública. Não é um plano do ministério, mas de um conselho nacional integrado por agentes e órgãos de segurança pública, apontou o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, durante a coletiva de imprensa que apresentou o balanço de quatro meses da pasta.

Para Jungmann, a criação do ministério, do SUSP, do plano nacional e de outros órgãos federais que atuam no tema deixa dão um rumo para a política segurança pública do país. Isso permite que pela primeira vez a segurança pública possa ter um ramo. Evidente que a implantação de tudo isso não se dará nesse governo, mas o rumo foi dado, disse.

Edição: Sabrina Craide

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212