Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


23 de Jul de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Temer aceita pedido de exoneração de ministro do Trabalho - Jornal Brasil em Folhas
Temer aceita pedido de exoneração de ministro do Trabalho


Em nota à imprensa divulgada há pouco, o Palácio do Planalto informou que o presidente Michel Temer recebeu e aceitou o pedido de exoneração do ministro do Trabalho, Helton Yomura. O presidente agradeceu sua dedicação à frente da pasta, diz a nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

Um dos alvos da terceira fase da Operação Registro Espúrio, deflagrada hoje (5) pela Polícia Federal (PF), o ministro Helton Yomura prestou depoimento na superintendência do órgão, em Brasília, acompanhado por seu advogado, e depôs por cerca de uma hora. Em nota, o advogado do ministro, César Caputo Guimarães, confirmou que, em função das investigações, Yomura foi suspenso de suas funções no ministério e afirmou que todas as medidas jurídicas cabíveis seriam adotadas para reverter tal medida, determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Deflagrada no dia 30 de maio para apurar a suspeita de fraudes no registro de sindicatos junto ao Ministério do Trabalho, a Operação Registro Espúrio deixou o ministério temporariamente sem comando. A pedido da PF e da Procuradoria-Geral da República (PGR), o ministro do STF Edson Fachin determinou o afastamento de Yomura.

A Secretaria Executiva também se encontra vaga desde que Leonardo José Arantes foi preso, em caráter preventivo, no início de junho. Arantes é sobrinho do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), líder da bancada do PTB, também alvo da investigação da Polícia Federal.

Indicado pelo partido, Yomura estava à frente da pasta desde janeiro deste ano – primeiro interinamente e, desde 10 de abril, como titular. Antes, ele ocupou a Secretaria Eexecutiva do ministério, cargo que assumiu em outubro de 2017.

Advogado por formação, Yomura foi alçado ao comando da pasta após a Justiça suspender a posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha do ex-deputado federal e presidente do PTB, Roberto Jefferson. Hoje, em nota, Jefferson colocou o ministério há anos controlado por sua legenda à disposição do presidente Michel Temer.

Em nota, o advogado César Caputo Guimarães afirmou que Yomura é inocente. “Tendo a certeza de não ter cometido nenhum ato ilícito e que suas ações correspondem a uma política de valorização dos trabalhadores e das instituições, o ministro Helton Yomura, mesmo não sabendo de que atos está sendo acusado, nega veementemente qualquer imputação de crime ou irregularidade”, acrescenta a nota da defesa.

A PF informou que a terceira fase da Operação Registro Espúrio foi deflagrada hoje com o objetivo de aprofundar as investigações sobre uma suposta organização criminosa suspeita de fraudar a concessão de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.

Atendendo ao pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o ministro Edson Fachin autorizou o cumprimento de dez mandados de busca e apreensão no Ministério do Trabalho, na Superintendência Regional do Trabalho, no gabinete do deputado federal Nelson Marquezelli (PTB-SP) e no apartamento de um assessor do parlamentar, alvo das investigações. Três pessoas foram presas em caráter temporário, mas seus nomes estão em segredo de Justiça.

De acordo com a PGR, servidores da Secretaria de Relações do Trabalho se valiam de seus cargos para viabilizar a atuação dos demais suspeitos, que recebiam facilitações para obter os registros necessários ao funcionamento de sindicatos. A Operação Registro Espúrio apura as supostas práticas de corrupção ativa e passiva e de lavagem de dinheiro. As duas primeiras fases foram deflagradas, respectivamente, nos dias 30 de maio e 12 de junho.

Carlos Marun

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse hoje que vai apresentar na próxima segunda-feira (9) representação e queixa-crime na Corregedoria da Polícia Federal e na Procuradoria-Geral da República contra vazamento de informações que citam seu nome.

O ministro deu as declarações após a divulgação de reportagem da Folha de S.Paulo que afirma que Marun é suspeito de envolvimento com a suposta organização, que, segundo a polícia e o Ministério Público, fraudava registros sindicais no Ministério do Trabalho.

“Desde que assumi a Secretaria de Governo, eu nunca pus os pés no Ministério do Trabalho, nunca conversei com nenhum servidor daquele ministério a respeito de demanda de qualquer sindicato, pessoalmente, ou por telefone, ou por qualquer outro meio. Todavia, infelizmente o ato de rotina de encaminhar através da minha assessoria pleitos que me foram apresentados por sindicalistas de Mato Grosso do Sul, em reunião pública, agendada e divulgada, se transformou em motivo de enxovalhamento da minha honra”, afirmou Marun, no Palácio do Planalto.

Marun esteve à tarde com o deputado federal Jovair Arantes, que disse para o ministro que a bancada do PTB apoiará qualquer decisão tomada pelo presidente Temer em relação ao assunto.

Edição: Sabrina Craide

 

Últimas Notícias

ANP descarta periodicidade mínima para reajuste de combustíveis
Confiança da indústria tem queda de 0,5 ponto na prévia de julho
Guardia e Goldfajn participam de reunião do G20 em Buenos Aires
Energia elétrica impulsiona inflação oficial na prévia de julho
Regras de IOF sobre empréstimos são atualizadas pela Receita
Embraer fecha segundo trimestre com US$ 17,4 bilhões em encomendas
ANP publica edital para oferta permanente de blocos exploratórios
Equipe econômica reduz para 1,6% previsão de crescimento do PIB

MAIS NOTICIAS

 

Relatório final da LDO pode ser entregue hoje na Comissão de Orçamento
 
 
Parecer da LDO veta renúncia fiscal, reduz custeio e congela salários
 
 
EBC suspende perfis nas redes sociais durante período eleitoral
 
 
Câmara pode votar nesta quarta projeto da Escola sem Partido
 
 
Brasil e Vietnã assinam acordos em aviação e agricultura
 
 
Toffoli cassa decisão de Moro e livra Dirceu de tornozeleira

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212