Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


24 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 No Rio, ingleses festejam vitória com hit Football is coming home - Jornal Brasil em Folhas
No Rio, ingleses festejam vitória com hit Football is coming home


No ponto de encontro dos ingleses no Rio de Janeiro, até a narração da vitória de 2 a 0 sobre a Suécia teve seu sotaque inconfundível na televisão. Mais de 150 ingleses se reuniram para assistir ao jogo das quartas de final da Copa do Mundo no The Lord Jim Pub, em Ipanema, na zona sul. Eufóricos com a vitória, eles acompanharam os cantos dos que estavam na Cosmos Arena, como o verso Football is coming home, da banda The Lightning Seeds.

Enquanto as cervejas não paravam de sair, a torcida foi ficando cada vez mais animada quando o placar se tornou favorável e a seleção pressionou a Suécia até o fim do primeiro tempo. No intervalo, hits de bandas britânicas como The Smiths e Oasis mantiveram a energia elevada. No segundo tempo, o gol de Dele Alli fez o bar tremer, e a festa inglesa só cresceu, atraindo a curiosidade de quem passava pela Rua Paul Redfern.

A estudante de português e espanhol Julia Summers, de 22 anos, não se considerava uma fã de futebol, mas se dispôs a ver todos os jogos da Copa do Mundo para participar da festa da comunidade inglesa no Rio de Janeiro.

Eu não gosto muito de futebol, mas a Copa mexe com o orgulho do país, disse. Tenho confiança que a Inglaterra pode ganhar a Copa porque o time é melhor que no passado.

Morando no Brasil há dois anos, Christopher Wallace, de 29 anos, não está tão otimista. Para ele, Bélgica e França têm seleções mais talentosas e a Inglaterra terá um confronto difícil se chegar à final contra uma delas.

Acho que será muito difícil ganhar deles. Mas temos grandes chances de ganhar de Rússia ou Croácia, então chegar à final é possível.

Final dos sonhos

Um dos sócios do bar, Paulo Amigo, de 53 anos, brinca que virou inglês desde criancinha depois que o Brasil foi desclassificado da Copa, e torce para que a Inglaterra vá ainda mais longe no mundial.

Minha final dos sonhos era Brasil e Inglaterra, mas como o Brasil perdeu, agora sou Inglaterra, disse ele, que já se acostumou a ver faturamento crescer quando cada Copa do Mundo lota o bar de ingleses. Faz lembrar os tempos antes da crise, quando os negócios iam melhor.

O pub foi fundado por um casal inglês na década de 1970 e por isso se tornou um ponto de encontro da comunidade inglesa no Rio de Janeiro. Apesar do idioma oficial do bar ser o inglês, brasileiros aproveitaram a festa para continuar no clima da Copa.

O universitário Bruno Barreira, de 21 anos, frequenta o bar em Ipanema e estava nele sexta-feira (6), quando o Brasil foi desclassificado pela Bélgica. Ele conta que o clima era de desânimo e tristeza, bem diferente da festa dos ingleses hoje.

Acho que a Copa não tem mais graça para os brasileiros. Principalmente para quem não acompanha os campeonatos europeus.

Torcedor do Manchester United e fã do futebol inglês, o brasileiro quer que Inglaterra ou França sejam as campeãs da Copa do Mundo.

Edição: Fernando Fraga

 

Últimas Notícias

Chega a 73 o número de mortos em explosão no México; feridos somam 74
Forte terremoto de magnitude 6,7 atinge o Chile
Mais de 150 imigrantes se afogam no Mar Mediterrâneo
Brasil e Europa vão ser interligados por novo cabo submarino
Acordo para mudar nome da Macedônia gera protestos em Atenas
Ghosn está disposto a aceitar qualquer condição para obter fiança
Bombeiros buscam pessoa desaparecida depois de tromba dágua no Rio
Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 38 milhões na quarta-feira

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212