Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


17 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 MPRJ denuncia ex-policial militar por morte de assessor de vereador - Jornal Brasil em Folhas
MPRJ denuncia ex-policial militar por morte de assessor de vereador


O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou hoje (10) o ex-policial militar e miliciano Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, como mandante da morte de Carlos Alexandre Pereira Maria, o Alexandre Cabeça, em parceria com Diogo Maia dos Santos. Cabeça era assessor informal do vereador Marcello Siciliano (PHS), que seria ligado a uma milícia no bairro da Curicica, na zona oeste do Rio.

A denúncia foi oferecida pelo promotor Homero das Neves Freitas Filho, da 23ª Promotoria de Investigação Penal, a pedido da Delegacia de Homicídios da Capital, que investiga as mortes da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, no dia 14 de março, no bairro do Estácio, centro do Rio.

Alexandre Cabeça foi assassinado no dia 8 de abril, no bairro da Taquara, em Jacarepaguá. De acordo com a denúncia, o crime foi cometido por Rondinele de Jesus da Silva e Ruy Ribeiro Bastos. Orlando Curicica é o líder da milícia que atua no bairro de Curicica, em Jacarepaguá, e, segundo o MP, foi o mandante da morte de Alexandre Cabeça, orientando os executores sobre como deveriam agir. A dupla chegou de moto e matou a vítima com tiros à queima-roupa na região da cabeça.

O MPRJ relata o papel desempenhado por cada um dos criminosos, que receberam de Curicica quantias de R$ 500 a R$ 1.250 cada, para o desempenho de suas funções. Segundo as investigações, o crime foi motivado pelo fato de Cabeça ter divulgado em redes sociais que Diogo Maia dos Santos seria o responsável pela morte de um homem identificado como Carrapa.

Presídio federal

No dia 19 de junho, Curicica deixou a Penitenciária Laércio da Costa Pelegrino (Bangu 1) e foi levado para o Presídio Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte. A transferência foi determinada pelo juízo da 5ª Vara Criminal do Rio, a pedido do MPRJ, sob o argumento de que a mudança é de “grande relevância para o interesse da segurança pública”.


Edição: Juliana Andrade

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212