Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


12 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 EUA querem mais dinheiro da Europa para a Defesa - Jornal Brasil em Folhas
EUA querem mais dinheiro da Europa para a Defesa


O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, pediu que os países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) aumentem os gastos com Defesa para 4% do Produto Interno Bruto (PIB). A grande maioria das nações ainda não atingiu, sequer, a meta de 2%, acordada em 2014 e que deve ser cumprida até 2024. As declarações foram feitas durante conferência de imprensa na cúpula da Otan em Bruxelas, na Bélgica.

Donald Trump já havia demonstrado a sua insatisfação no Twitter, ao escrever que os EUA pagam bilhões de dólares pela proteção da Europa e perdem bilhões em comércio. Os presidentes vêm tentando, sem sucesso, há anos levar a Alemanha e outras nações ricas da Otan a pagar mais para sua proteção da Rússia. Eles pagam apenas uma fração do custo. Os EUA pagam dezenas de bilhões de dólares para subsidiar a Europa e perdem no comércio!, afirmou.

Trump acusou ainda a Alemanha de gastar bilhões com energia russa. A Alemanha começou a pagar a Rússia, país do qual eles querem proteção, bilhões de dólares para suas necessidades de energia, provenientes de um novo gasoduto da Rússia. Inaceitável! Todas as nações da OTAN devem cumprir o seu compromisso de 2% e, em última análise, devem ir para 4%!.
Alemanha

Em resposta a Trump, a chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que seu país tem liberdade para tomar decisões de forma independente. No entanto, Merkel reconheceu que, tanto a Alemanha quanto outros países europeus devem colaborar aumentando os gastos com a Defesa.

A discussão de agora foi muito importante porque todos os aliados europeus deixaram claro que respondem à nova ameaça de segurança fortalecendo e modernizando suas próprias tropas. A Alemanha também faz isso, mas também deixo claro que somos o segundo maior país a contribuir, disse Merkel.

A chanceler disse ainda que a cúpula foi intensa mas produtiva. Posso dizer que o resultado é um compromisso claro com a OTAN e uma forte vontade de fazer contribuições diante das mudanças nas ameaças à segurança.

A expectativa é que hoje, superado o tema dos gastos com Defesa, as discussões da cúpula estejam focadas no fim da guerra no Afeganistão e na adesão de novos membros ao tratado, como a Geórgia e a Ucrânia.

Edição: Valéria Aguiar

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212