Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 IT&E apresenta pesquisa sobre "fake news", bots e desinformação nas Eleições - Jornal Brasil em Folhas
IT&E apresenta pesquisa sobre "fake news", bots e desinformação nas Eleições


Como a tecnologia é usada para influenciar o resultado de processos eleitorais e como pode ser usada nas eleições brasileiras de 2018? Na próxima quarta-feira (25/07), o IT&E (Instituto de Tecnologia e Equidade) esclarece essas e outras dúvidas.

A organização apresenta, no Rio de Janeiro, durante um seminário na FGV DAPP (Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas), uma série de seis recomendações para o combate à desinformação e "fake news". As orientações fazem parte da pesquisa inédita "Desinformação em Eleições: desequilíbrios acelerados pela tecnologia".

Uma pesquisa recente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que, dos 116 milhões de pessoas conectadas à internet, 94,2% enviaram ou receberam algum tipo de mensagem por aplicativos, como Facebook e WhatsApp. Por isso, uma das recomendações do IT&E é que as escolas brasileiras comecem a alfabetizar digitalmente as crianças.

A apresentação do "White Paper" e da pesquisa do IT&E acontece durante o lançamento da Sala da Democracia Digital, iniciativa pioneira da FGV DAPP sem qualquer vinculação partidária, que tem a parceria do Instituto Tecnologia e Equidade. O espaço físico tem a missão de antecipar movimentos nas redes sociais que possam prejudicar e desequilibrar as eleições de outubro.

O Instituto Tecnologia e Equidade e a FGV DAPP irão disponibilizar, de forma pública, avaliações relacionadas às práticas de manipulação na política por meio de bots e distribuição de notícias falsas.

A pesquisa do Instituto que levou ao "White Paper" contém explicações teóricas sobre o funcionamento de perfis falsos. Esse tipo de tecnologia é reconhecido como catalisadora do processo de desinformação. O IT&E buscou explorar dimensões tanto dos processos relacionados às "fake news" como o de bots: origens, tipos, características, comportamentos e contextos, bem como antídotos, legislações e iniciativas ao redor do mundo consideradas inspiradoras pela organização.

O objetivo é gerar eleições mais justas e equitativas que possam ter como propósito central o ato de oferecer informações aos cidadãos a partir de dados e conteúdos legítimos, reduzindo ao máximo a desinformação, o uso malicioso da tecnologia e, principalmente, a manipulação do eleitor.

A pesquisa explica que os robôs trabalham em quatro frentes distintas: coleta de informações, execução, produção de conteúdos e simulação do comportamento humano.

Pontos de alavancagem

"Dê me um ponto de apoio e uma alavanca que moverei o mundo." A frase do filósofo Arquimedes resume as propostas que o IT&E apresenta em seu trabalho. O Instituto oferece o que chama de "Pontos de Alavancagem Sistêmica", ou seja, pontos dentro de uma organização, um tipo de relação econômica, um corpo vivo, um sistema eleitoral onde "uma pequena, mas precisa mudança em algo pode produzir grandes transformações em tudo".

No seminário da FGV DAPP, a organização vai apresentar um mapa da "Propaganda Eleitoral na Internet nas Eleições do Brasil em 2018". O material gráfico contém os componentes essenciais do fluxo de informações das campanhas (e grupos envolvidos seja defendendo propostas como refutando candidatos, discursos e propostas políticas).

As recomendações do IT&E

- Alterar o propósito do sistema
- Alterar e criar novas regras para propagandas eleitorais na internet
- Criar novos fluxos de informação
- Alterar e criar ciclos de feedback
- Criar novos ciclos de feedback de ajuste
- Reduzir atrasos nos ciclos de feedbacks

SERVIÇO:

Sala de Democracia Digital - #observa2018
Data: 25 de julho
Local: Auditório - 12° Andar - Edifício Sede
Endereço: Edifício Luiz Simões Lopes - Praia de Botafogo, 190 - Botafogo, Rio de Janeiro - RJ

SOBRE O IT&E:

O Instituto Tecnologia e Equidade é uma organização sem fins lucrativos que desenvolve pesquisas e projetos experimentais que contribuem para alcançar a equidade com o uso ético da tecnologia. O foco de atuação em 2018 é dividido em Eleições, Tecnologia e Democracia. O IT&E tem como diferenciais o conhecimento profundo de tecnologias da informação e comunicação; uso de metodologias inspiradas no pensamento sistêmico; defesa de princípios morais (equidade, precaução) como base do avanço tecnológico; ampla rede de contatos de pesquisadores, atores estratégicos e desenvolvedores de tecnologia.

CODIRETORES:

Ariel Kogan - Engenheiro industrial pela Universidad Nacional de Cuyo (Argentina) e ENISE (França). Foi Diretor da Open Knowledge Brasil, membro dos Conselhos das seguintes organizações: Rede Nossa São Paulo, ICLEI Brasil, Gênero e Número e Muove Brasil.

Márcio Vasconcelos - Mestre em Administração de Empresas. Foi gestor na Fundación Avina da área de Tecnologia para Mudança Social, coordenador do Fundo Latino Americano de Inovações Cívicas, co-coordenador da Iniciativa Latino Americana de Dados Abertos; foi representante da sociedade civil da América Latina no Comitê Executivo do GT de Dados Abertos da Aliança de Governo Aberto (OGP). Trabalhou como consultor para fundações internacionais em programas de Democracia e Tecnologia.

Thiago Rondon - Empreendedor que atua para reconstruir negócios e a sociedade com o uso positivo da tecnologia. Atualmente é diretor-executivo na EOKOE que apoia organizações na exploração de novos propósitos e no APPCÍVICO que atua com tecnologias cívicas junto de políticos, governos e sociedade civil. Escreve semanalmente na coluna "Multidões" na Época Negócios sobre "tecnologia, organismos e poder". Entusiasta e colaborador de projetos de software livre e o movimento de dados abertos.

PESQUISADORES:

Ellen Larissa de Carvalho Aquino - Bacharel em Tecnologias da Informação e Comunicação pela UFSC, com formação complementar em Engenharia Telemática pela UAH (Espanha). Pesquisadora na área de Tecnologias Interativas e Sociedade.

Carlos A. de Moraes Junior - Entusiasta de segurança da informação e desenvolvedor de software ligado à tecnologias de software livre. Atualmente cursa Bacharelado em Ciência da Computação pela FMU e trabalha com projetos open source no AppCívico.

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212