Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Traslado de estudante morta na Nicarágua depende de documentação - Jornal Brasil em Folhas
Traslado de estudante morta na Nicarágua depende de documentação


O corpo da estudante de medicina Raynéia Gabrielle Lima, de 30 anos, assassinada a tiros na semana passada, em Manágua, na Nicarágua já foi embalsamado e aguarda a liberação de documentos para retornar ao Recife, onde mora sua família. Conforme os trâmites legais previstos, o corpo só pode embarcar com uma certidão de óbito da vigilância sanitária, emitido pela Prefeitura de Manágua, e autorização do Ministério da Saúde da Nicarágua. As informações são da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) de Pernambuco, responsável pelo traslado.

A SJDH informou também que a obtenção dos documentos está sendo mediada pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), com o acompanhamento do Governo de Pernambuco.

Todos os encaminhamentos possíveis já foram dados, independente da transação financeira, inclusive com o apoio constante da casa funerária e da companhia aérea que fará o translado, diz nota divulgada pela SJDH.

Crime

A estudante brasileira Raynéia Gabrielle Lima foi morta, na noite de segunda-feira (23), com um tiro no peito que, segundo o reitor da Universidade Americana (UAM), Ernesto Medina, foi disparado por um um grupo de paramilitares no sul da capital Manágua.

A Nicarágua vive uma crise sociopolítica com manifestações que se intensificaram, desde abril, contra o presidente Daniel Ortega que se mantém há 11 anos no poder em meio a acusações de abuso e corrupção. A repressão aos protestos populares já deixou entre 277 e 351 mortos, de acordo com organizações humanitárias locais e internacionais.

O assassinato da estudante brasileira ocorreu horas depois de Medina participar de um fórum no qual disse que o crescimento econômico e a segurança na Nicarágua antes da explosão dos protestos contra Ortega em abril era parte de uma farsa porque nunca houve um plano que acabasse com a pobreza e a injustiça.

O governo de Daniel Ortega foi acusado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e o Escritório do Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Acnudh) pelos assassinatos, maus tratos, possíveis atos de tortura e prisões arbitrárias ocorridas em território nicareguense.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Saúde libera recursos para atender moradores da região de Brumadinho
Justiça determina prisão preventiva de acusado de espancar paisagista
Irmão de mulher espancada diz que ainda está chocado com a violência
Flamengo pede mais prazo para decidir sobre indenização de vítimas
Profissionais que atuaram em Brumadinho serão monitorados
Auditores descobrem 158 Kg de cocaína na fronteira com a Bolívia
Governo determina medidas de precaução para barragens em todo o país
Bolsonaro irá ao Congresso entregar texto da reforma da Previdência

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212