Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


13 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Subtenente do Exército é preso em operação contra milicianos no Rio - Jornal Brasil em Folhas
Subtenente do Exército é preso em operação contra milicianos no Rio


A operação da Polícia Civil de Itaguaí, deflagrada na manhã de hoje (2), contra milicianos resultou na prisão de 13 pessoas suspeitas de compor uma quadrilha que atuava no próprio município e nas redondezas. Um dos detidos é o subtenente do Exército Marco Antônio Cosme, responsável por dar ordens para a organização criminosa e por receber o dinheiro que vinha das extorsões e dos serviços oferecidos pela milícia.

A Operação Freedom também tem como alvo o policial ativo Antônio Carlos de Lima, afastado da corporação por licença médica, e o ex-sargento da Polícia Militar (PM), Carlos Eduardo Benevides. Lima é apontado como o braço-direito do chefe da quadrilha, Wellignton da Silva Braga, o Ecko – preso há um mês e meio durante as investigações.

A polícia encontrou armas, uma espada e um porrete na casa de Lima e uma camisa da Liga da Justiça – nome do grupo enquanto atuava em Campo Grande, zona oeste do Rio – na casa de Benevides. Ambos estão foragidos.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Moisés Santana, o grupo é audacioso, violento e agia, inclusive, se apropriando de terrenos e casas para alugar para terceiros ou vender. “Tem alguns conjuntos habitacionais, espécie Minha Casa Minha Vida, em que eles entraram e expulsaram os moradores e colocaram novos moradores que pagam taxas a eles”, disse.

A investigação, que já dura cerca de três meses e meio, iniciou-se após denúncias de moradores da região que relataram as constantes extorsões que sofriam pelo grupo.

Segundo a Polícia Civil, o grupo movimenta grandes montantes de dinheiro em razão dos diversos serviços que oferece, como rede de internet e TV a cabo, botijão de gás, galões de água e cestas básicas, e também pelas taxas que cobravam dos moradores e comerciantes da região.

As taxas variavam de R$30 a R$1 mil, dependendo das condições econômicas de cada um. Os valores eram cobrados em troca de uma suposta segurança que seria oferecida pela quadrilha.

A operação tem o objetivo de cumprir 42 mandados de prisão e 87 mandados de busca e apreensão. Os procurados são acusados de integrar a quadrilha que atua nos bairros de Campo Grande, Cosmos, Santa Cruz, Paciência e na cidade de Itaguaí, Região Metropolitana do Rio. Os criminosos são investigados por diversos crimes, como homicídios, adulteração de veículos, receptação, porte de armas, roubos e tráfico de drogas.

Em nota, o Comando Militar do Leste (CML) informou que colaborou com as investigações e que o subtenente está preso e à disposição da Justiça Comum.

*Estagiária sob supervisão de Mario Toledo

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212