Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Secretário dos EUA discute com brasileiros defesa na América do Sul - Jornal Brasil em Folhas
Secretário dos EUA discute com brasileiros defesa na América do Sul


Pela primeira vez no Brasil, o secretário de Defesa dos Estados Unidos (EUA), James Mattis, desembarcou em Brasília e abriu a agenda oficial na manhã de hoje (13) ao se encontrar com o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira. À tarde, o responsável pelo Pentágono tem uma reunião fechada com o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, seguida por vários encontros bilaterais dentro do Ministério da Defesa.

Mattis ainda tem agenda na América do Sul até sexta-feira (17) com visitas ao Chile e à Colômbia.

Ainda sem confirmação oficial, há expectativa de que Mattis conceda entrevista coletiva ao lado de Silva e Luna, por volta das 15h, para ressaltar temas tratados em torno de acordos e parcerias entre os dois países. Um assunto que interessa ao Brasil e pode vir à tona nas conversas é a retomada do acordo para a construção da base de lançamento de satélite de Alcântara (MA).

Em seguida, Mattis embarca para o Rio de Janeiro. Na capital fluminense, ele fará palestra sobre defesa na Escola Superior de Guerra amanhã. Também está planejada visita ao monumento à Segunda Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo. Depois, ele segue para Buenos Aires, na Argentina.
Venezuela

Jim Mattis, como é conhecido pela imprensa norte-americana, ocupa um dos postos mais importantes do governo e está desde o início da administração Trump na pasta. Há expectativa de que na viagem à América do Sul seja tratada a crise na Venezuela.

Nos últimos dias, a suposta tentativa de assassinato do presidente venezuelano Nicolás Maduro refletiu em uma série de medidas contra opositores locais. Uma delas foi a ordem de prisão de dois deputados de oposição e mais 19 suspeitos.

O Brasil e 11 países que integram o Grupo de Lima emitiram nota de repúdio à repressão de partidos de oposição e defenderam uma investigação transparente sobre o atentado.

Maduro sinalizou que aceita a colaboração do FBI nas investigações desde que apure também supostos vínculos nos Estados Unidos.

Edição: Renata Giraldi e Lílian Beraldo

 

Últimas Notícias

Brasil perdeu 7,2 milhões de linhas de celular no ano passado
Petrobras reduz em 3% GLP empresarial nas refinarias
Ministro do STJ nega pedido de prisão domiciliar a João de Deus
Escassez de chuvas leva governo a acionar termelétricas mais caras
Picciani, Paulo Melo e Albertassi serão julgados por Bretas
Suspensa permissão para deputada receber denúncias contra professores
MPT não descarta pedir bloqueio dos bens do Flamengo
Número de mortos identificados em Brumadinho chega a 151

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212