Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Haddad diz que reforma do sistema bancário é prioridade - Jornal Brasil em Folhas
Haddad diz que reforma do sistema bancário é prioridade


A uma plateia de empresários dos setores de comércio e de serviços, o candidato a vice-presidente da República na chapa do PT, Fernando Haddad, representando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, disse nesta terça-feira (14) que uma das primeiras medidas de uma eventual administração petista será a reforma do sistema bancário para diminuir os juros ao crédito.

“Temos que dar um basta à oligopolização dos bancos, e isso não virá sem dor para os banqueiros”, afirmou. “Vamos ter que conviver por muito tempo com quatro ou cinco bancos respondendo por 80%, 90% do crédito. Teremos que mudar a legislação tributária dos bancos: quanto mais o banco cobrar de spread [bancário], mais impostos vai ter que pagar”.

Além de Haddad, outros quatro candidatos à Presidência da República participam hoje (14) do Diálogo Eleitor, promovido pela União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), que reúne oito instituições dos dois setores.

Ao representar o ex-presidente Lula no debate, Haddad, ex-prefeito de São Paulo e coordenador do programa de governo do PT, destacou que a chapa encabeçada por Lula será registrada amanhã (15) no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Fico feliz de a Unecs ter aberto a possibilidade de um representante do presidente Lula trazer a sua mensagem. Faço isso na condição de seu companheiro de chapa”, disse.

Para destravar a economia, em um eventual governo do PT, Haddad defendeu a reforma tributária com a adoção do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), a isenção de Imposto de Renda para quem ganha até cinco salários mínimos e a tributação de dividendos.

Outra medida apontada por Haddad é a manutenção da responsabilidade fiscal, mas sem a adoção do teto dos gastos públicos para que o Estado possa continuar a fazer investimentos.“O chamado teto do gasto inviabiliza a gestão pública”, destacou. “Não faz sentido manter o Estado congelado por 20 anos. Ele precisa ter alguma folga orçamentária para permitir que com gastos eficientes e transparentes, busquemos produtividade na infraestrutura”.

Perguntado sobre a reforma da Previdência, Haddad defendeu o debate sobre o tema com a população, por meio de mesas redondas com governadores e prefeitos para discutir os regimes próprios do funcionalismo. Disse ainda que é possível pensar em um referendo para discutir o assunto, mas observou que o programa de governo do PT não vai “penalizar os mais pobres”.

Segundo o candidato a vice, o plano de governo do PT prevê a retomada de obras paradas de programas como o Minha Casa, Minha Vida, para gerar empregos na construção civil no curto prazo. Haddad ressaltou que o programa habitacional vai se concentrar em áreas com infraestrutura urbana já instalada.

Questionado sobre segurança nas fronteiras, Haddad afirmou que, se a chapa for eleita, a gestão petista vai antecipar a entrega do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron). Outra proposta é estabelecer que a Polícia Federal faça o “ciclo completo” do combate ao crime organizado.

Pela manhã, os presidenciáveis Álvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT) e Henrique Meirelles (MDB) debateram suas propostas para a retomada da economia, especialmente para a modernização do ambiente de negócios. O último a apresentar os principais pontos de seu programa de governo é o candidato Geraldo Alckmin (PSDB).

Edição: Carolina Pimentel

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212