Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Acompanhamento fiscal do Senado prevê PIB em baixa e dívida em alta - Jornal Brasil em Folhas
Acompanhamento fiscal do Senado prevê PIB em baixa e dívida em alta


O Instituto Fiscal Independente (IFI) do Senado Federal divulgou novo relatório de acompanhamento em que revisa para baixo a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018.

A previsão é de que o PIB cresça 1,6% este ano, 0,9 ponto percentual abaixo da projeção trimestral anterior (2,7%). O percentual calculado pelo Senado coincide com a projeção do Ministério do Planejamento e a tendência de queda corresponde às expectativas levantadas pelo Boletim Focus do Banco Central.

Outro dado preocupante descrito no relatório do (IFI) é a confirmação que a dívida pública, hoje equivalente a 77,2% do PIB, continuará crescendo nos próximos anos e deverá atingir 84,1% do PIB em 2023. “A trajetória é de alta até estabilizar”, disse à Agência Brasil Felipe Scudeler Salto, diretor-executivo do IFI.

Ele alerta para o “custo elevado do endividamento”, que obriga o Tesouro Nacional a aumentar o prêmio dos títulos novos que lança no mercado financeiro para viabilizar o orçamento e resgatar antigos papéis.

As projeções otimistas do IFI assinalam o próximo governo, a ser eleito em outubro, não ultrapassará o teto de gastos públicos pelo menos até 2020. O relatório não garante, porém, que as despesas não cresceram mais do que a inflação a partir de 2021.

Neste ano, o nível das despesas primárias deve fechar “muito próximo do teto de gastos”. O resultado impedirá “eventual espaço fiscal gerado por futuras projeções de receita seja usado para ampliação de despesas”.

Se houver aumento real das despesas, o país ultrapassará limites da margem fiscal atualizada anualmente conforme a inflação. Caso o cenário se confirme, o IFI prevê que serão acionados “gatilhos”, como a proibição de novos concursos públicos e de reajuste salarial dos servidores federais. A regra que vale pelos próximos 20 anos e preserva os gastos mínimos estabelecidos em lei com saúde e educação.

Conforme Felipe Salto, o eventual uso do gatilho “pode produzir efeito importante” nas contas públicas, mas “não é suficiente” para trazer o gasto para abaixo do teto.

Edição: Carolina Pimentel

 

Últimas Notícias

Varejo perde R$ 19,5 bilhões em 2017 por danos em produtos e furtos
A partir deste sábado, candidatos só podem ser presos em flagrante
Brasileiros não se sentem prontos para lidar com a morte, diz pesquisa
Aos 95 anos, Gervásio Baptista recebe Medalha do Mérito Jornalístico
PF combate grupo criminoso responsável por contrabando de cigarros
Primavera começa hoje com possibilidade de novo episódio do El Niño
Facebook anuncia medidas para combater contas falsas e desinformação
Polícia Militar faz operação na Rocinha

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212