Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


14 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 MPRJ denuncia médico Denis Furtado por homicídio - Jornal Brasil em Folhas
MPRJ denuncia médico Denis Furtado por homicídio


O médico Denis Furtado foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) por homicídio doloso na morte da bancária Lilian Quezia Calixto de Lima Jamberci. Além do médico, conhecido como Dr. Bumbum, também foram denunciados pelo crime: Maria de Fátima Barros Furtado, médica e mãe de Denis, a namorada e secretária do médico, Renata Fernandes Cirne, e a empregada doméstica, Rosilane Pereira da Silva.

A bancária morreu na madrugada do dia 15 de julho após um procedimento de bioplastia dos glúteos feito no apartamento de Denis Furtado, no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio. Segundo a denúncia do MPRJ, foi aplicada na paciente uma quantidade acima do permitido da substância química polimetilmetacrilato (PMMA), “sem observar minimamente os deveres legais de cuidado inerentes ao procedimento, assumindo assim os riscos decorrentes de suas condutas”. Após passar mal, a bancária foi levada para o hospital Barra D’Or, onde acabou morrendo.

“Note-se que Denis, auxiliado pelas demais denunciadas, ao realizar na vítima o procedimento de bioplastia de glúteos, introduzindo 300 ml da substância PMMA através de procedimento invasivo, quando a recomendação é de uso em pequenas doses e com restrições, criou o risco proibido, previsível ao denunciado na sua condição de médico, risco esse incrementado uma vez que a intervenção foi realizada em um apartamento, provisória e precariamente adaptado para o atendimento de pacientes, assumindo destarte o risco do resultado decorrente de sua conduta, qual seja, a morte da vítima”, diz um trecho da denúncia.

O documento do MPRJ ressalta ainda que Dr. Bumbum não tinha especialização médica para realizar o procedimento e que seus registros estavam inscritos apenas nos conselhos regionais de Goiás e do Distrito Federal. A atuação como médico no Rio de Janeiro era, portanto, irregular.

Já Maria de Fátima teve seu registro cassado pelo Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj). Mesmo assim, apresentava-se como médica e fazia procedimentos cirúrgicos junto com o filho, além de captar pacientes.

“Com expressivo número de seguidores nas redes sociais, o ‘Dr. Bumbum’ atraía as mulheres sob a falsa promessa de beleza fácil e imediata”, diz o documento.

Edição: Lílian Beraldo

 

Últimas Notícias

Nordeste perdeu 1 milhão de trabalhadores no campo de 2012 para 2017
IBGE prevê em 2019 safra de grãos 0,2% menor que a de 2018
Safra de grãos pode chegar a 238,3 milhões de toneladas, diz Conab
Banco do Brasil tem lucro de 14,3% no terceiro trimestre
Percentual de inadimplentes recua em outubro, diz CNC
Boletos vencidos de todos os tipos serão pagos em qualquer banco
Leonardo de Morais toma posse na presidência da Anatel
Natal deve movimentar R$ 53,5 bilhões na economia do país, prevê SPC

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212