Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 PM cumpre prisão preventiva em SP por homicídio qualificado de jovem - Jornal Brasil em Folhas
PM cumpre prisão preventiva em SP por homicídio qualificado de jovem


O policial militar Alécio José de Souza, do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Santo André, região metropolitana de São Paulo, está no Presídio Romão Gomes cumprindo prisão preventiva decretada pela Justiça paulista pelo assassinato do estudante Luan Gabriel Nogueira de Souza, 14 anos, no bairro Parque João Ramalho, periferia da cidade. O crime ocorreu em 5 de novembro do ano passado.

Em maio, o cabo havia sido indiciado por homicídio culposo pela Polícia Civil – quando não há intenção de matar. O Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP), no entanto, denunciou o policial à Justiça no início deste mês por homicídio qualificado, quando há a intenção de matar e também agravantes.

“Alécio assumiu o risco da produção do resultado morte, ao atirar sem alvo definido, contra um grupo de pessoas, sem aguardar a chegada do reforço policial para realizar abordagem”, argumentou o MP sobre uma das agravantes. O outro diz respeito à “dificuldade de defesa da vítima, atingida pelas costas, com tiro na região da nuca”.

Na manhã do dia em que foi assassinado, Luan tinha saído de casa acompanhado por um amigo para comprar bolachas em um mercadinho. De acordo com depoimentos de testemunhas, os dois pararam numa viela para cumprimentar outros amigos que desmontavam uma moto, quando um policial chegou com arma em punho e gritando “perdeu, perdeu”. Os rapazes correram, e o policial disparou, atingindo Luan, segundo as testemunhas.

A Secretaria de Segurança Pública do estado informou, em nota, que o inquérito policial militar (IPM) foi concluído com o indiciamento do cabo e remetido à Justiça Militar e que ele responderá a um processo administrativo disciplinar.

O coordenador da Comissão da Infância e Juventude do Conselho Estadual de Direitos Humanos (Condepe), Ariel de Castro Alves, considerou importante a manifestação e denúncia no MPSP por homicídio qualificado, contrariando entendimento anterior da Polícia Civil. “A família estava bastante decepcionada com a demora nas investigações e a conclusão de homicídio culposo”, disse.

“Foi um crime gravíssimo, em que o PM já chegou atirando e acertou Luan na nuca. Depois, seus colegas de corporação atuaram para acobertar o PM autor dos disparos, ameaçando testemunhas e modificando o local do crime”, disse o coordenador, que acompanha o caso desde o início. Segundo ele, baseado no mandado expedido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), a prisão ocorreu justamente por relatos de ameaças a testemunhas e indícios de alteração no local do crime.

Edição: Juliana Andrade

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212