Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Fev de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 MPF apresenta 25ª denúncia contra Sérgio Cabral na Lava Jato - Jornal Brasil em Folhas
MPF apresenta 25ª denúncia contra Sérgio Cabral na Lava Jato


O Ministério Público Federal apresentou a 25ª denúncia contra o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral. Desta vez, Cabral é acusado do recebimento de R$ 78.924.800 da Odebrecht, em propina cobrada por obras de urbanização na Comunidade do Alemão dentro do Programa de Aceleração do Crescimento das Favelas (PAC Favelas), na construção do Arco Metropolitano (Lote 01), na reforma do Maracanã para a Copa do Mundo de 2014 e na construção da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro.

Além de Cabral, foram denunciados os ex-secretários de governo Wilson Carlos, e de Obras Hudson Braga; o ex-assessor da Secretaria de Obras do Rio Wagner Jordão; e o diretor da empresa Riotrilhos, Heitor Lopes. Todos são acusados pelos crimes de corrupção passiva, praticados na contratação das obras.

Segundo o MPF, a denúncia está baseada em apurações feitas nas operações Calicute, Eficiência e Tolypeutes, realizadas pela Força-Tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, que confirmam a atuação de uma organização criminosa estruturada no governo do estado durante a gestão de Cabral. O MPF acrescentou que a denúncia inclui dados de colaboração premiada de executivos da Odebrecht, das empreiteiras Andrade Gutierrez e Carioca Engenharia, além de doleiros que operavam para Cabral.

De acordo com a denúncia, logo após assumir o governo em 2007, o ex-governador e Wilson Carlos pediram à Odebrecht o pagamento de uma mesada no valor de R$ 1 milhão. O pedido inicial se referia a 5% do valor dos contratos negociados pela Odebrecht. Com isso, foi pago, efetivamente, o valor de R$ 8.596.800 pelas obras do PAC Favelas – Alemão e Arco Metropolitano; R$ 8,5 milhões pela reforma do Maracanã; e R$ 59,2 milhões pelas obras da Linha 4 do Metrô.

A denúncia também indica que Hudson Braga recebeu pagamento de R$ 1,428 milhão, com a anuência de Cabral e a participação de Wilson Carlos e Wagner Jordão. “O valor corresponde a 1% do pago pelas obras do PAC Favelas – Alemão e Arco Metropolitano, distribuído em parcelas mensais para ‘oxigenar’ a estrutura da Secretaria de Obras”, informou.

Já contra o diretor da Riotrilhos, Heitor Lopes, há a acusação de receber pelo menos R$ 1,2 milhão em vantagem indevida correspondente a 0,125% dos pagamentos recebidos pela Odebrecht pelas obras da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro.

O MPF destacou que antes mesmo da publicação do edital de licitação das obras do PAC Favelas, as empresas já eram conhecidas por um acerto entre elas para que uma não atrapalhasse a pretensão de outra e para que se desse cobertura em relação às propostas a serem apresentadas. Os pagamentos eram realizados pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. Nas planilhas de registro da empreiteira, Cabral era identificado com o codinome Proximus.

Para os procuradores do MPF, os registros feitos no sistema da Odebrecht (Drousys) e dos colaboradores têm origem absolutamente autônoma e se complementam. “É possível afirmar que se trata da mesma operação pelo fato de que tanto a Odebrecht, no sistema Drousys, quanto os colaboradores, no sistema ST, usaram a mesma senha para confirmação da entrega de dinheiro, tendo sido feitos os mencionados registros em ambos os sistemas, que, conforme já assentado, foram entregues de maneira independente, sem que um conhecesse o material que o outro entregou”, indicaram.

Para o advogado Rodrigo Roca, que defende Cabral, a denúncia é inepta. “O ex-governador já foi julgado por esses mesmos fatos. O MPF já não se contenta em fatiar a mesma causa em vários processos, agora também duplica a acusação em feitos distintos. Vamos pedir ao TRF-2 que bloqueie a ação repetitiva”, informou à Agência Brasil.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Governadores pedem ao STF julgamento de processos sobre repasses
Ministro quer atrair investimentos privados para Jardim Botânico do RJ
Fies vai oferecer 100 mil vagas a juro zero para alunos de baixa renda
TJ libera R$ 13 milhões para Vale ressarcir gastos do governo mineiro
Vale pede mais tempo para analisar Termo de Ajuste Preliminar
Deputados do Rio presos podem ter posses suspensas
Vale suspende operação em barragem em Brucutu e de mina em Brumadinho
TRE-RJ mantém ex-deputado Paulo Melo inelegível até 2024

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212