Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


16 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Congresso de Geologia debate queda de recursos para a ciência - Jornal Brasil em Folhas
Congresso de Geologia debate queda de recursos para a ciência


A redução de recursos para a ciência no Brasil foi hoje (23) o centro das discussões no painel Defesa das Instituições Públicas de Geologia e da Ciência Brasileira, no 49º Congresso Brasileiro de Geologia, no Centro de Convenções SulAmerica.

No evento, o presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira, ressaltou que o orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações está em queda desde 2014. Moreira prevê que o montante para 2019 deve continuar na tendência de redução “Estamos hoje com um terço do que tínhamos para investimentos nesse ministério há oito anos. Essa situação é catastrófica”, disse.

Sobre a questão, o físico destacou que, a queda de recursos, coloca em risco a concessão de bolsas de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). Segundo ele, se for mantida a quantidade de editais no nível basal, as bolsas do CNPq deverão ir até setembro ou outubro de 2019. “A nossa briga agora está no Congresso Nacional para que a lei orçamentária, que até o dia 31 de agosto o governo tem que mandar para o Congresso, a gente faça uma pressão para que esses números aumentem”.

Recentemente, o presidente do Conselho Superior da Capes, Abílio Baeta Neves, disse, em carta ao Ministério da Educação, que se o texto fixado para o órgão no ano que vem for mantido, 93 mil bolsas seriam suspensas a partir de agosto de 2019. O ministro da Educação, Rossieli Soares, reafirmou que as bolsas de estudos de pós-graduação da Capes serão mantidas em 2019. No último dia 6, foram liberados R$ 296,61 milhões para Capes.

Pós-graduação

Apesar das dificuldades enfrentadas pelo setor nos últimos anos, o professor Ildeu Moreira apontou que a pós-graduação cresceu no país. “Há 20 anos, vários estados não tinham nenhum curso de pós-graduação. Hoje, todos os estados brasileiros têm, evidentemente, às vezes com qualidade diferenciada. A região amazônica deveria ter mais para aproveitar toda a biodiversidade que temos aqui”, disse.

No ano passado, conforme o físico, o Brasil formou 58 mil mestres e 20 mil doutores, número considerado significativo na América Latina. No entando, quando a comparação é feita com o número de habitantes, é inferior ao de países avançados. “O número de cientistas brasileiros por um milhão de habitantes ainda é muito pequeno, muito menor, em uma ordem de grandeza de outros países, mas um desafio que temos agora é que estamos formando doutores que estão ficando desempregados. Esse é um desafio que o país tem que encarar. Não podemos parar de formar pessoal qualificado”, afirmou.

Para o presidente da SBPC, o desafio central é a qualidade das escolas do país. Na visão dele, é preciso aproximar crianças e jovens da ciência. “Melhorar a educação básica brasileira é um desafio fundamental e que a gente deixa a desejar”, observou.

Museu Nacional

O diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, lembrou que a instituição, que completa este ano o bicentenário, precisou recorrer a um sistema de financiamento coletivo para reabrir, em julho, a sala dos dinossauros, com a volta para o local do maior dinossauro já montado no Brasil, o Maxakalisaurus topai. Kellner destacou ainda o contrato assinado pela instituição com o BNDES que prevê investimento de R$ 21,7 milhões para o plano de revitalização do prédio histórico, acervo e espaços de exposição. “Ficar só chorando não adianta. A gente precisa pensar em ações”, disse. Ao falar sobre o assunto, apresentou uma reportagem da Agência Brasil no telão.

O diretor reafirmou que o museu busca a liberação de um terreno para construir novos espaços e expandir as áreas de exposições e de preservação do acervo. O assunto está em discussão na Secretaria de Patrimônio da União. O projeto prevê o envolvimento de moradores de São Cristóvão, bairro onde o Museu Nacional está instalado, que poderiam participar de atividades no local.

Edição: Carolina Pimentel

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

Volume de vendas do varejo cai 1,3% em setembro
 
 
Gilmar Mendes suspende decisão que obriga bancos a ressarcir clientes
 
 
Prefeitos e secretários pedem para manter cubanos no Mais Médicos
 
 
Em depoimento, Lula nega que é dono de sítio em Atibaia
 
 
Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões no próximo sorteio
 
 
Enem: estudantes fazem hoje prova de matemática e ciências da natureza

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212