Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Vendas do comércio do Rio caem por sete meses consecutivos - Jornal Brasil em Folhas
Vendas do comércio do Rio caem por sete meses consecutivos


As vendas do comércio lojista da capital fluminense tiveram, em julho, a sétima queda consecutiva este ano. A retração atingiu 5,3% em comparação a igual mês do ano passado. No acumulado janeiro-julho de 2018, as vendas caíram 4,7%, ante o mesmo período de 2017. Os números constam da pesquisa Termômetro de Vendas, divulgada hoje (23) pelo Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDL Rio). Foram ouvidos 500 estabelecimentos comerciais cariocas.

Na avaliação do presidente da entidade, Aldo Gonçalves, o resultado negativo das vendas reflete o momento difícil que o Rio de Janeiro está vivendo. “A situação econômica do país está com melhora mas, infelizmente, o Rio de Janeiro, por uma série de fatores específicos do estado, está vivendo um momento difícil. O funcionalismo público está recebendo com atraso; o índice de desemprego no estado do Rio é o pior do Brasil; há o problema da desordem urbana, com os camelôs, além da violência e falta de segurança. Tudo isso somado está prejudicando bastante o comércio do Rio”, elencou Gonçalves, em entrevista à Agência Brasil.

De acordo com a pesquisa, todos os setores do ramo mole (bens não duráveis) e do ramo duro (bens duráveis) tiveram resultados negativos. As maiores quedas de faturamento foram apresentadas, respectivamente, pelos segmentos de tecidos (-9,3%) e óticas (-10,1%).

Cheques devolvidos

Nos primeiros sete meses deste ano, mais de 20 mil cheques foram devolvidos no comércio do Rio, por falta de fundos; aumento de 1,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Esse foi o segundo maior percentual de devolução de cheques registrado pelo CDL Rio. Perdeu somente para o acumulado janeiro-agosto de 2017, quando foram devolvidos 24 mil cheques, mais 1,4% sobre igual período de 2016.

As dívidas quitadas, que mostram o número de consumidores que colocaram suas dívidas em dia, diminuíram 2,8% de janeiro a julho. Em relação à inadimplência, houve aumento de 1,2% no acumulado dos sete primeiros meses em comparação ao mesmo período do ano passado. Em julho, a inadimplência subiu 1,3%, em relação ao mês anterior. De acordo com o Serviço Central de Proteção ao Crédito do CDLRio, esse é o maior índice deste ano.

Edição: Sabrina Craide

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212