Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


15 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Contas externas voltam a ficar negativas - Jornal Brasil em Folhas
Contas externas voltam a ficar negativas


As contas externas brasileiras apresentaram resultado negativo em julho, após quatro meses seguidos de superávit.

O déficit em transações correntes, que são compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com outras nações, chegou a US$ 4,433 bilhões, segundo dados divulgados hoje (27), em Brasília, pelo Banco Central (BC).

O resultado do mês passado superou o déficit de julho de 2017: US$ 3,419 bilhões.

De acordo com o BC, o déficit foi maior em julho deste ano por conta da redução no superávit comercial, um dos itens das transações correntes.

Em julho, o superávit comercial ficou em US$ 3,9 bilhões, contra US$ 6,055 bilhões em igual mês de 2017.
Expansão das importações de bens

“O decréscimo no saldo comercial foi determinado pela expansão das importações de bens, 49,3%, em relação ao resultado de julho de 2017, impulsionado pelo registro de US$ 3,3 bilhões associados às importações de plataformas de petróleo no âmbito do Repetro [regime especial que suspende os tributos cobrados sobre bens destinados a atividades de exploração de petróleo e gás natural]”, diz o BC, no relatório.

Por outro lado, o Banco Central também registrou crescimento de 21,9% das exportações, impulsionado pela venda de plataforma de petróleo, no valor de US$ 1,3 bilhão, com amparo do Repetro.

Em julho, o resultado negativo para as contas externas não foi totalmente coberto pelos investimentos diretos no país (IDP). Quando o país anota saldo negativo em transações correntes precisa cobrir o déficit com investimentos ou empréstimos no exterior.

A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o IDP, porque recursos são aplicados no setor produtivo. No mês passado, o IDP chegou a US$ 3,897 bilhões.

Nos sete meses do ano, entretanto, o IDP (US$ 33,772 bilhões) supera com folga o déficit em transações correntes (US$ 8,078 bilhões). Mas neste ano, o déficit está maior do que o de janeiro a julho de 2018 (US$ 2,835 bilhões).

Edição: Kleber Sampaio

 

Últimas Notícias

Presidente Díaz-Canel defende trabalho de médicos cubanos no Brasil
Ministério vai lançar edital para repor vagas de médicos cubanos
CFM afirma que há médicos suficientes para atender Brasil
Associação lança projeto para conscientizar população sobre diabetes 2
Transposição do S. Francisco está na pauta de prioridades da transição
Temer inaugura primeira etapa do acelerador de elétrons Sirius
Temer diz que decidirá “lá na frente” reajuste de ministros do STF
Só um governador do Nordeste participa de encontro em Brasília

MAIS NOTICIAS

 

No Congresso, Temer defende reuniões frequentes entre Poderes
 
 
Bolsonaro reafirma, no Congresso, compromisso com a Constituição
 
 
Bolsonaro critica Enem e diz que prova deve cobrar conhecimentos úteis
 
 
Governo de transição dividiu trabalhos por temas em dez frentes
 
 
Para ministro, é “mais simples” unir MEC com Ciência e Tecnologia
 
 
Bolsonaro e Temer iniciam hoje formalmente governo de transição

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212