Assine Brasil em Folhas / Nuvem / Pressreader



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Sep de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade
 

...

...

 
Notícias
 Jungmann defende decisão do governo de empregar a GLO em Roraima - Jornal Brasil em Folhas
Jungmann defende decisão do governo de empregar a GLO em Roraima


O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse hoje (28) que foi acertada a decisão do presidente Michel Temer de decretar o emprego das Forças Armadas em Roraima, com a aplicação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO). “Considero que essa medida do presidente Temer é absolutamente adequada ao estado”, disse, após participar de uma reunião na sede do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no centro do Rio, para acertar um trabalho conjunto do órgão com o ministério para produção de estatísticas na área de segurança.

Ao ser questionado sobre a GLO em Roraima, o ministro disse que, em qualquer lugar do mundo, a imigração gera tensão tanto para quem está chegando a um novo país quanto para quem já é morador do local e tem que disputar espaço. Para ele, no caso de Roraima, existe uma diferença de fluxos entre a chegada de venezuelanos e a interiorização deles no Brasil.

Segundo o ministro, se o número de imigrantes for maior que a capacidade de deslocamento deles para outras regiões ou das suas instalações em abrigos, o resultado será venezuelanos perambulando nas ruas, o que pode gerar conflito. Para o ministro, essa situação se agrava pelo momento eleitoral por que passa o Brasil.

“Em um momento eleitoral, o que a gente tem visto é que, infelizmente, há uma, digamos, politização de uma tragédia humanitária que já deslocou 2,5 milhões de venezuelanos. É uma das maiores tragédias humanitárias no mundo hoje e que nunca poderia ser objeto de disputa política”, apontou.

Intervenção federal

O ministro acrescentou que o Ministério Público pediu intervenção no estado por conta da situação do sistema prisional de Roraima. “A Justiça não está podendo funcionar porque o crime organizado que controla o sistema penitenciário não permite a identificação daqueles que precisam ir às audiências na Justiça, que é um caso clássico, considerado na Constituição, de intervenção”.

Jungmann acrescentou que, por duas vezes, o governo federal colocou as Forças Armadas à disposição do governo de Roraima, mas não houve resposta. Ele informou que a decisão da GLO já estava tomada, pelo menos em princípio, pela manhã, quando participou em Brasília de uma reunião que tratou do assunto.

Jungmann descartou a necessário de fazer uma intervenção federal na segurança do estado. “Não há necessidade porque, com a GLO, as Forças Armadas assumem a coordenação da segurança. A segurança do estado, agora, passa para as mãos das Forças Armadas. Não é intervenção, aliás é como aconteceu anteriormente na GLO do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Norte e no meu estado, Pernambuco. É uma decorrência da GLO”, disse.

Edição: Davi Oliveira

 

Últimas Notícias

Centro está preparado para lançamento de foguete após acidente
Cidades brasileiras integram programa de preservação de florestas
MP denuncia ex-marido de corretora assassinada no Rio
Bolsonaro segue estável e internado no Hospital Albert Einstein
Goiás entra para a elite dos Estados mais competitivos do País
Petrobras eleva gasolina em 2 centavos; diesel permanece inalterado
MME faz consulta sobre planejamento da transmissão de energia elétrica
Inadimplência do consumidor subiu 3,63% em agosto

MAIS NOTICIAS

 

Toffoli toma posse hoje na presidência do STF
 
 
Chanceler do Paraguai visita Brasil para negociar construção de pontes
 
 
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados pelo IBGE em julho
 
 
Brasil amplia investimento em educação infantil, diz OCDE
 
 
México investiga caso de deputadas forçadas a renunciar
 
 
A série de ataques de 11 de Setembro completa 17 anos

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212