Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


22 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 PIB cresce 0,2% no segundo trimestre de 2018 - Jornal Brasil em Folhas
PIB cresce 0,2% no segundo trimestre de 2018


O Produto Interno Bruto do país (PIB) – a soma de todas as riquezas produzidas – fechou o segundo trimestre do ano com crescimento de 0,2% em relação ao primeiro trimestre, na série com ajuste sazonal. Esse foi o sexto resultado positivo após oito variações negativas consecutivas nessa comparação. Em valores correntes, o PIB totalizou R$ 1,693 trilhão. A informação foi divulgada hoje (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os dados indicam que a ligeira alta foi determinada pelo setor de serviços que teve desempenho positivo de 0,3%, enquanto a Indústria registrou queda de 0,6% e a agropecuária, estabilidade.

Em relação ao segundo trimestre de 2017, o crescimento foi de 1% no segundo trimestre deste ano, o quinto resultado positivo consecutivo nessa comparação. A indústria e os serviços cresceram 1,2%, enquanto a Agropecuária variou -0,4%.

Em relação à demanda, o consumo das famílias cresceu 1,7% – o quinto trimestre seguido de avanço na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

No acumulado dos quatro últimos trimestres, o PIB cresceu 1,4% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

Serviços

Responsável direto pela expansão de 0,2% do PIB do primeiro para o segundo trimestre do ano, ao crescer 0,3%, o setor de Serviços (que responde por cerca de 70% da economia do país) teve como destaque positivo as atividades de informação e comunicação e imobiliária, ambas com expansão de 1,2%; seguidas das atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (0,7%) e de outras atividades de serviços (0,7%).

Por outro lado, as principais quedas foram verificadas nas atividades de transporte, armazenagem e correio, com -1,4%, Comércio (-0,3%) e administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (-0,2%).

Já a indústria, ao cair 0,6%, teve as áreas de transformação e de construção em destaque, ambas com queda de 0,8% do primeiro para o segundo trimestre do ano. O comportamento do setor industrial foi seriamente comprometido pela greve dos caminhoneiros, em maio.

A despesa de consumo das famílias e a despesa de consumo do governo tiveram variações positivas de, respectivamente, 0,1% e 0,5%. Já a formação bruta de capital fixo recuou 1,8% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

No setor externo, as exportações de bens e serviços reduziram-se 5,5%, enquanto as importações de bens e serviços recuaram 2,1% em relação ao primeiro trimestre de 2018.

Semestre

O crescimento de 0,2% do PIB no segundo trimestre do ano levou à expansão acumulada de 1,1% no primeiro semestre em relação a igual período do ano passado, depois de ter fechado o segundo semestre do ano passado também em alta: 1,8%.

O crescimento de 1,4% verificado nos serviços e na indústria compensou a queda de 1,6% registrada na agropecuária. Na indústria, contribuíram para a alta as atividades das indústrias de transformação, que cresceram 2,8%, seguidas da atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e de gestão de resíduos, ambas com 1,9%. Por outro lado, a construção e as indústrias extrativas caíram no primeiro semestre do ano, respectivamente, 1,7% e 0,6%.

Nos serviços, apenas informação e comunicação (-1,4%) tiveram resultado negativo. O maior avanço foi no comércio (3,2%), seguido das atividades imobiliárias (2,9%) e de transporte, armazenagem e correio (1,9%).

A despesa de consumo das famílias aumentou 2,3% e a despesa de consumo do governo recuou 0,3%.

Já no setor externo, houve crescimento de 7,3% nas importações de bens e serviços e de 1,3% nas exportações de bens e serviços.

Ano

O crescimento acumulado da economia brasileira nos quatro últimos trimestres foi de 1,4% em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores. De julho do ano passado até junho deste ano, todos os setores da economia fecharam com resultados positivos, com destaque para os 2% de expansão da agropecuária. A indústria e os serviços cresceram no período 1,4%.

A Formação Bruta de Capital Fixo (ampliação da capacidade produtiva futura) dos últimos quatro trimestres subiu 2,6% – primeiro resultado positivo desde o segundo trimestre de 2014 – e a Despesa de Consumo das Famílias aumentou 2,3% – terceira alta seguida.

Já a despesa de consumo do governo manteve a trajetória de queda, ao fechar em -0,4%. No setor externo, foram registradas altas de 4,7% nas exportações de bens e serviços e de 7,1% nas importações de bens e serviços.
Revisão de resultados

Ao divulgar os resultados da economia brasileira para este segundo trimestre do ano, o IBGE revisou para baixo o resultado do PIB do primeiro trimestre. Segundo o Instituto, a economia variou 0,1% de janeiro a março deste ano e não os 0,4% inicialmente divulgado.

Já a alta de 0,2% referente ao quarto trimestre do ano passado foi revisada para estagnação (0%). A alta de 0,3% do terceiro trimestre do ano passado, no entanto, virou crescimento de 0,6%.

Edição: Talita Cavalcante

 

Últimas Notícias

Bolsonaro participa no Chile de Cúpula Presidencial Sul-Americana
Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212