Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Campanha de vacinação terá mais um Dia D no estado do Rio - Jornal Brasil em Folhas
Campanha de vacinação terá mais um Dia D no estado do Rio


A campanha de imunização contra o sarampo e a poliomielite no estado do Rio de Janeiro, que vai ser prorrogada por 15 dias para reforçar a cobertura vacina, vai ter mais um Dia D.

Segundo o médico Alexandre Chieppe, da Secretaria de Estado de Saúde, o prazo de 15 dias começa a ser contado na próxima segunda-feira (3), o Dia D ocorrerá nesse período. A data ainda será definida, levando-se em consideração inclusive que, na semana que vem, tem o feriado de 7 de setembro. “Vamos definir no início da semana que vem com os secretários municipais de Saúde, mas certamente será dentro desse período de prorrogação da campanha”, disse Chieppe à Agência Brasil.

“Por mais duas semanas, a partir de segunda-feira, haverá vacinação em todos os postos nos municípios que não atingiram a meta. Todo o estado continua mobilizado, oferecendo tanto a vacina tríplice, que protege contra o sarampo, como a de poliomielite, para todas as crianças de 1 ano ou menores de 5 anos”, completou.

Mobilização

No estado do Rio, foram confirmados este ano 18 casos de sarampo – 15 na capital, dois em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e um em Niterói, na região metropolitana.

Neste sábado (1º), postos de saúde do estado estão aplicando as vacinas. No município do Rio, o horário terminou ao meio-dia.

De acordo com Chieppe, a orientação para a mobilização de hoje é resultado da baixa média de cobertura no estado. Conforme dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES), apenas 55,5% do público-alvo foram vacinados contra o sarampo e 54,6% contra a poliomielite. A meta da campanha é imunizar cerca de 812 mil crianças, que representam 95% do público-alvo. “A orientação foi para que todos os municípios que tivessem condição de abrir os postos que abrissem. Por isso, a abertura dos postos e o horário de funcionamento está muito heterogênea no estado do Rio de Janeiro todo”, explicou.

Para Chieppe, o histórico do estado do Rio, de cobertura superior a 95% contra o sarampo e a poliomielite, pode ter levado os pais a entender que não há necessidade de imunização, mas a orientação é renovar a aplicação das vacinas.

“Parte dessas crianças já está plenamente imunizada, mas isso tem feito com que algumas pessoas eventualmente não levem as crianças por estarem com a caderneta completa. Nosso desafio é mostrar que a campanha é não seletiva, ou seja, todas as crianças, independentemente do status vacinal, devem se vacinar até para garantir o reforço da vacina. Crianças que não tiverem conseguido proteção com a primeira ou segunda dose têm uma oportunidade de garantir a imunização”, disse o médico, destacando que há doses suficientes para atender ao público-alvo.

Região serrana

Em Teresópolis, a cobertura atingiu, até agora, 67,8% do público-alvo de 8.366 crianças. De acordo com o Ministério da Saúde, é o maior percentual entre as principais cidades da região serrana do Rio de Janeiro. Lá o atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, em 19 unidades de saúde municipais.

Em Petrópolis, também na região serrana, a vacinação contra a poliomielite atingiu 55% do público-alvo, enquanto 54% receberam a tríplice viral, que previne contra o sarampo, rubéola e caxumba. No município, a expectativa da Secretaria de Saúde é vacinar 14 mil crianças. No ano passado, a aplicação da tríplice viral fechou ficou em 73% de cobertura e contra a poliomielite em 71%.

Vacina segura

Segundo a Secretaria de Saúde, a vacina contra a poliomielite é segura e protege contra os dois sorotipos do poliovírus 1 e 3, mas crianças com comprometimento imunológico devem ser avaliadas antes de tomar a vacina.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil está livre da poliomielite desde 1990, motivo fundamental para que a população procure a vacina.

Também chamada de pólio ou paralisia infantil, a poiliomielite é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus. Pode afetar os nervos e levar à paralisia parcial ou total, atingindo tanto crianças quanto adultos. Entre os sintomas estão febre, dor de garganta e de cabeça, vômito, mal-estar, dor nas costas ou rigidez muscular, principalmente nos membros inferiores.

A proteção contra o sarampo faz parte das vacinas tríplice viral e tetra viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde.

O sarampo é uma infecção viral grave para crianças pequenas, mas de fácil prevenção por meio de vacina. Os sintomas começam com febre acompanhada de tosse persistente, manchas vermelhas na pele, irritação ocular e corrimento no nariz. Pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia e convulsões. No limite, a doença provoca lesão cerebral e morte.

Edição: Nádia Franco

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212