Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Imprensa internacional repercute incêndio no Museu Nacional no Rio - Jornal Brasil em Folhas
Imprensa internacional repercute incêndio no Museu Nacional no Rio


O incêndio que consumiu, na noite de ontem (2) e madrugada de hoje (3), o acervo do Museu Nacional do Rio de Janeiro é notícia em veículos de comunicação de todo o mundo.

Na América Latina, o jornal argentino Clarín traz entre os detaques de capa a história do incêndio que destruiu o acervo que continha cerca de 20 milhões de peças valiosas, que datam da época do império. O Museu comemorava, em 2018, 200 anos de história.

O El País do Uruguai diz que o incêndio devorou uma joia cultural do Brasil. O jornal afirmou que, enquanto queimava o museu, a tristeza e a raiva se misturavam à indignação de investigadores, professores e alunos, que já articulavam, na internet, protestos para hoje (3) na frente da instituição.

O periódico peruano El Comercio ressalta a majestosidade do prédio, que foi devorado pelas chamas, sem que os bombeiros conseguissem controlá-las.

Na Europa, os principais veículos também noticiaram o incêndio. No El País espanhol, o destaque é o fato de o museu ser a mais antiga instituição científica e de história natural do país, criada pelo rei João VI em junho de 1818, quando Brasil ainda era una colônia de Portugal. O jornal destacou ainda o fato de as causas da tragédia serem desconhecidas.

O português Público traz o incêndio como matéria principal, na capa, com uma galeria de fotos das chamas consumindo o palácio.

A britânica BBC também publica, com destaque na capa, o devastador incêndio que consumiu, entre milhares de objetos, a Luzia, o mais antigo esqueleto humano encontrado nas Américas, que remete a 12 mil anos, e representa uma jovem entre 20 e 24 anos. Já o The Guardian ressalta a perda incalculável para o Brasil.

O francê Le Figaro publica um vídeo com entrevistas. O italiano Corriere della Sera afirma que o acervo já não existe mais, e ressalta a falta de manutenção do museu mais antigo do Brasil.

Nos Estados Unidos, os principais jornais também deram destaque à tragédia. O Washington Post ressaltou a batalha dos bombeiros contra o fogo no museu que abrigava artefatos do Egito, arte greco-romana e alguns dos primeiros fósseis encontrados no Brasil.

O New York Times afirma que incêndio engole museu, ameaçando centenas de anos de história. A CNN lembrou que o maior meteorito já encontrado no Brasil também estava abrigado no museu. Ele pesava 5,36 toneladas e foi encontrado em 1784.

Edição: Talita Cavalcante

 

Últimas Notícias

Sul e Sudeste se unem e formam consórcio para ações conjuntas
Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
Feiras em São Paulo oferecem oportunidades de intercâmbio no exterior
Treze de 16 docentes relataram casos de agressão na escola de Suzano

MAIS NOTICIAS

 

Sul do Chile enfrenta 45 focos de incêndios florestais
 
 
Governo de Minas oferece suporte psicossocial às vítimas de Brumadinho
 
 
Força Nacional de Segurança começa a deixar o Ceará
 
 
Licitação de ônibus em São Paulo tem contratos de R$ 71 bi em 20 anos
 
 
Força Nacional vai atuar em Belém na primeira quinzena de março
 
 
Fiocruz alerta para agravamento de doenças na população após tragédia

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212