Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


18 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Reitor diz que orçamento da UFRJ não teve aumento nos últimos anos - Jornal Brasil em Folhas
Reitor diz que orçamento da UFRJ não teve aumento nos últimos anos


O reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Leher, disse hoje (6) que o orçamento da universidade não aumentou nos últimos anos. Ele informou que pediu uma análise das contas da instituição para a Consultoria de Orçamento da Câmara dos Deputados. De 2014/2015 para 2018/2019, o custo da nossa folha de pagamento diminuiu de R$ 2,7 bilhões para R$ 2,6 bilhões, incluindo os aposentados. Ou seja, diminuiu! As contas de custeio e encargos fora da folha foram de R$ 530 milhões para R$ 440 milhões. A parte de investimento, que é para comprar equipamentos, reforma, foi de R$ 52 milhões em 2015 para R$ 6 milhões em 2018. O gasto total caiu de R$ 3,3 bilhões para R$ 3,1 bilhões. Os gastos discricionários passaram de R$ 453 milhões para R$ 337 milhões.

Segundo ele, o orçamento destinado para o Museu Nacional é de R$ 340 mil, mas o custo de manutenção chega a R$ 7 milhões. Leher disse que a UFRJ buscou recursos pela Lei Rouanet, de incentivo à cultura, e conseguiu aprovar projetos para captação de recursos que totalizavam R$ 17 milhões, incluindo um para prevenção de incêndios. Porém, a iniciativa privada não teve interesse e o museu conseguiu captar apenas R$1 milhão.

O detalhamento do orçamento da instituição foi feito pelo reitor da UFRJ para uma plateia de servidores, professores e estudantes da UFRJ e de outras instituições, além de representantes de diversas instituições de ensino e pesquisa do Rio de Janeiro e de outros estados.

Leher disse que o momento é de muita dignidade e é preciso mostrar a capacidade inventiva e de reconstrução da instituição. Precisamos fazer uso crítico dos dados e números que vou apresentar, em razão da narrativa construída à revelia dos fatos, a pretexto de se fazer jornalismo, disse o reitor.

O reitor informou que o Ministério da Educação autorizou o repasse de R$ 10 milhões para ajudar emergencialmente a manter a estrutura do prédio de pé e cuidar da remoção dos escombros, com a atenção necessária para tentar recuperar algo do acervo no processo. A segunda etapa do trabalho, é fazer um projeto executivo para a reconstrução do prédio, em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram). Nós queremos que essa verba entre no orçamento da União. Não queremos depender de doações, disse Leher.

O reitor informou que as conversas com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para destinar a verba, já aprovada, para a construção de um prédio anexo na própria Quinta da Boa Vista, já começaram, de forma a não permitir a dispersão dos estudantes, pesquisadores e técnicos. “Que a pesquisa continue aqui, defendeu.

Sobre a investigação das causas do incêndio, Leher disse que ainda não recebeu o laudo da Polícia Federal, mas que a própria universidade também fará um laudo técnico.

Ele também destacou que não se pode esquecer o que aconteceu com o museu. No projeto de reconstrução, um aspecto tem que estar consensuado em relação à memória. Não queremos apagar o que aconteceu com o prédio. As marcas que sangram são marcas históricas, as futuras gerações vão encontrar aqui um memorial sobre o que aconteceu em 2018.

Edição: Fernando Fraga

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212