Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Abr de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Brasil não apoia investigar crime contra humanidade na Venezuela - Jornal Brasil em Folhas
Brasil não apoia investigar crime contra humanidade na Venezuela


Após encontro com o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, disse hoje (28) que o Brasil não vai se unir à iniciativa de seis países (Colômbia, Argentina, Chile, Paraguai, Peru e Canadá) que pediram ao Tribunal Penal Internacional (TPI) para investigar a prática de crimes contra a humanidade na Venezuela desde 12 de fevereiro de 2014. Esta é a primeira vez, desde a fundação do TPI, em 2002, que um grupo de Estados-parte denuncia outro país.

“O Brasil não se associa a essa iniciativa. Aliás, já existe uma representação no Tribunal Penal Internacional sob exame da procuradoria do tribunal. Ela que dará seguimento ou não a essa iniciativa”, disse a jornalistas.

Perguntado por que o Brasil não apoia a iniciativa, Nunes afirmou que a solidez do caso não parece ser “evidente”. “Acreditamos que o acirramento das tensões não é positivo. Queremos que haja um clima de menos tensão entre nossos países de modo a favorecer o diálogo interno entre governo e oposição da Venezuela”, completou.

O encontro entre Nunes Ferreira e Arreaza ocorreu em Nova York, aproveitando que ambos participam das reuniões da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Nunes Ferreira reiterou o apoio ao livre fluxo de pessoas entre os dois países vizinhos. “A fronteira do Brasil está aberta, se quiserem vir, recebemos. Se quiserem voltar, evidentemente voltarão. A movimentação da fronteira se dá de uma maneira muito fluida”.

Sobre a questão migratória, o chanceler brasileiro disse ter relatado a seu colega venezuelano que a imigração não constitui um “problema dramático” para o Brasil. “O problema é sua localização ali no estado de Roraima. Disse a ele das providências que temos tomado e o nosso esforço para apoiarmos os venezuelanos que queiram ir para outros estados da federação que possam fazê-lo”.

Política externa brasileira

O chanceler brasileiro comentou que foi consultado por colegas estrangeiros sobre o rumo da política externa brasileira após o resultado das eleições presidenciais. “Eu disse que a política externa brasileira não faz grandes mudanças de um governo para o outro. Temos parâmetros muito seguros e seguidos há muito tempo que, com diferença de ênfase num governo ou outro, tem balizado a nossa política externa”.

Nunes Ferreira também informou ter relatado que o Brasil é um “país que tem regras eleitorais seguras, uma Justiça eleitoral, um método de recolhimento de apuração do sufrágio absolutamente seguro e rápido, um país que respeita a diversidade de opiniões”.

Em outubro, o Brasil vai receber pela primeira vez observadores da Organização dos Estados Americanos (OEA) que vão acompanhar as eleições gerais. Uma equipe de 50 a 60 observadores estrangeiros estarão espalhados por vários pontos do território para acompanhamento do pleito.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Ex-presidente do Peru tenta se matar ao receber ordem de prisão
Ex-presidente do Peru está em estado grave após tentativa de suicídio
Governo argentino lança pacote de medidas para combater inflação
PRF apreende no Rio 300 mil maços de cigarros contrabandeados
Famílias de baixa renda de Brumadinho recebem auxílio emergencial
Governo autoriza uso da Força Nacional para segurança na Esplanada
Chega a 18 número de mortos no desabamento no Rio de Janeiro
Fachin pede manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - EXPEDIENTE