Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


25 de Mar de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Trump diz que Venezuela é um desastre, mas abre porta para diálogo - Jornal Brasil em Folhas
Trump diz que Venezuela é um desastre, mas abre porta para diálogo


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje (28) que a Venezuela é um desastre, mas voltou a abrir portas para um diálogo com o presidente do país, Nicolás Maduro. A Venezuela é um desastre que precisa ser limpo. É preciso nos ocuparmos do que está ocorrendo com as pessoas, disse Trump, ao receber o presidente do Chile, Sebastián Piñera, na Casa Branca.

Questionado se ainda está disposto a se reunir com Maduro, Trump respondeu que sabe que o presidente venezuelano quer se encontrar com ele. Veremos o que vai ocorrer, afirmou.

O primeiro sinal para um diálogo entre os dois foi dado por Trump há dois dias. Em uma reunião paralela à Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o presidente americano disse estar aberto a encontrar Maduro se os dois se cruzassem em Nova York e se isso fosse ajudar a Venezuela.

Maduro respondeu no mesmo dia, em discurso na Assembleia Geral, ao afirmar que estaria disposto a se reunir com Trump e a ter um diálogo de agenda aberta. Ontem, o líder venezuelano afirmou que esse encontro seria para o bem dos dois países.

Apesar dos sinais, Trump não aborda o assunto sem ser perguntado por jornalistas e normalmente se esquiva ao responder, evitando fazer uma afirmação clara de que queira se reunir com Maduro.

Trump afirmou hoje que planejava conversar com Piñera sobre a Venezuela e sobre outros eventos que estão ocorrendo no mundo.

Antes de ir à Casa Branca, o presidente chileno discordou publicamente, em um discurso no Conselho Permanente da Organização de Estados Americanos (OEA), de uma das opções consideradas por Trump para lidar com o problema da Venezuela. A opção militar não é uma boa opção [para a Venezuela]. Sabemos como as intervenções militares começam, mas nunca sabemos como terminam. Há a quantidade de mortos, de dor e de sofrimento que isso pode causar, afirmou Piñera na sede da Organização dos Estados Americanos (OEA) em Washington.

Piñera, que assumiu o poder em março, não falou sobre a Venezuela no Salão Oval da Casa Branca.

Edição: Nádia Franco

 

Últimas Notícias

Jovens têm menos chance de contratação e mais de serem demitidos
Bolsa cai e dólar fecha em R$ 3,80
Araújo: dispensa de status especial na OMC nos coloca como país grande
Países sul-americanos devem sair de uma só vez da Unasul, diz ministro
Chanceler descarta emprego das Forças Armadas na Venezuela
Moçambique, Zimbábue e Malauí tentam identificar vítimas de ciclone
Nova Zelândia quer proibir, em abril, venda de armas do tipo militar
Conselho Europeu aceita prorrogar saída do Reino Unido para maio

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212