Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


20 de Abr de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 ONU exige informações sobre colombianos presos na Venezuela há 2 anos - Jornal Brasil em Folhas
ONU exige informações sobre colombianos presos na Venezuela há 2 anos


A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, a chilena Michelle Bachelet, exigiu hoje (9) informações sobre a morte de Fernando Albán, opositor do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Ela também cobrou informações sobre a situação em que se encontram dezenas de colombianos detidos no país sem acusação formal.

Estamos profundamente preocupados com a manutenção da detenção de 59 cidadãos colombianos, detidos sem acusação na Venezuela por mais de dois anos, disse a porta-voz de Michelle Bachelet.

As informações oficiais são que de que o vereador, que fazia oposição ao governo de Maduro, se jogou do décimo andar de um prédio, ao ser encaminhado para os tribunais. Ele estava sob responsabilidade do sistema prisional, detido por suposto envovimento em atentado, no início de agosto, contra o presidente Maduro. Porém, Brasil e autoridades internacionais desconfiam da versão.

Há muita especulação sobre o que aconteceu, se ele se matou, se ele foi lançado, se ele foi maltratado, há muita especulação e precisamos de uma investigação independente e transparente para esclarecer as circunstâncias de sua morte, disse Shamdasani.
Condições insalubres

Segundo informações da ONU, os colombianos foram presos em operações de segurança entre agosto e setembro de 2016 e estão mantidos em uma cela no centro de detenção Yerguara em Caracas.

Segundo relatórios transmitidos às Naçõs Unidos, no local não há alimentos, água ou remédios. Há informações de que muitos dentre os 59 homens estão doentes, um deles William Estremor, que estava gravemente doente, foi levado à emergência de um hospital.

Os detidos foram acusados de serem os paramilitares, mas não há qualquer prova ou acusação contra eles. Um juiz, em 2017, decidiu que eles deveriam ser libertados. A decisão ainda não foi cumprida.

As autoridades colombianas remeteram o caso ao Grupo de Trabalho sobre Detenções Arbitrárias do Conselho de Direitos Humanos.

Edição: Denise Griesinger

 

Últimas Notícias

Ex-presidente do Peru tenta se matar ao receber ordem de prisão
Ex-presidente do Peru está em estado grave após tentativa de suicídio
Governo argentino lança pacote de medidas para combater inflação
PRF apreende no Rio 300 mil maços de cigarros contrabandeados
Famílias de baixa renda de Brumadinho recebem auxílio emergencial
Governo autoriza uso da Força Nacional para segurança na Esplanada
Chega a 18 número de mortos no desabamento no Rio de Janeiro
Fachin pede manifestação de Moraes sobre inquérito de fake news

MAIS NOTICIAS

 

Copom inicia reunião nesta terça para definir taxa básica de juros
 
 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia de 2,28% para 2,01%
 
 
Atividade econômica tem queda de 0,41% em janeiro, diz BC
 
 
Governo lança edital de estudos para concessão de 22 aeroportos
 
 
Governo do Rio anuncia rompimento da concessão do Maracanã
 
 
Conflitos e segurança poderão contar pontos na avaliação de escolas

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - EXPEDIENTE