Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


19 de Jan de 2019 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Diálogo proporcionou acordo entre Peru e Equador, diz Aloysio Nunes - Jornal Brasil em Folhas
Diálogo proporcionou acordo entre Peru e Equador, diz Aloysio Nunes


O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, afimou hoje (16), na cerimônia comemorativa dos 20 anos do acordo de paz entre Equador e Peru, que o tratado representou “um grande feito diplomático, uma vitória do diálogo e do apego à paz”.

Aloysio Nunes lembrou que o Brasil sempre esteve à frente das negociações e alianças de países latino-americanos em busca do fim dos conflitos na fronteira entre Peru e Equador, assim como na coordenação da missão militar que foi designada para colaborar com o reestabelecimento da paz na região. A comissão esteve sob coordenação brasileira durante cinco anos.

O acordo assinado, em 26 de outubro de 1998, em Brasília colocou fim a disputas territoriais que se prolongaram por 57 anos, resultando, inclusive, em dois confrontos armados e na existência de uma área minada na região.

“Foi um processo demorado, bem-sucedido, no qual o Brasil pode cumprir uma missão que consideramos nossa: de ser não só um país pacifico mas promotor da paz”, disse o chanceler.
Dificuldades

Aloysio Nunes destacou ainda que a consolidação prática do acordo foi um processo difícil, mas que revelou a importância do diálogo e da negociação “em um mundo em que a ameaça de intervenção militar é fator de perturbação da paz mundial e de aumento da tensão no mundo”.

Segundo o ministro, a celebração do acordo é uma forma de manter viva a memória da região, mas também de “não deixar que [esses fatos] caiam em esquecimento e tirar deles os ensinamentos para o futuro”.

Ex-chanceleres

Os ex-chanceleres do Equador José Ayala Lasso e do Peru Fernando de Trazegnies Granda, que também participaram das negociações há duas décadas, participaram da cerimônia desta terça-feira e exaltaram o papel da diplomacia brasileira na construção da aliança.

Granda, que comandou a delegação do Peru ao longo das reuniões de negociação, afirmou que a ajuda brasileira foi indispensável para o alcance da paz com o Equador. “O Brasil foi o irmão maior que ajudou a encontrar a paz fraternal entre nossos países”, disse.

Histórico

Brasil, Chile, Argentina e Estados Unidos foram os chamados países garantes, que mediaram as negociações para que a área disputada entre os dois países, com extensão de 78 quilômetros ao longo da fronteira, fosse transformada em dois parques ecológicos, devidamente demarcados e com espaço para a construção de dois monumentos históricos.

O tratado foi assinado na presença dos então presidentes Fernando Henrique Cardoso, do Brasil, Jamil Mahuad, do Equador, e Alberto Fujimori, do Peru.

“Celebrar a paz é algo extremamente positivo, é na paz que se desenvolvem todas as atividades humanas. Na paz, tudo é possível, e fora dela nada é possível”, disse Lasso. O equatoriano agradeceu o empenho brasileiro nas negociações e afirmou que “quem trabalha pela paz, em consequência, merece respeito e gratidão”. Lasso destacou ainda a dificuldade de construção da paz entre países acostumados a conviver com zonas de conflito.

Diplomatas que participaram das negociações de paz, militares que integraram a Missão de Observadores Militares Equador-Peru (Momep) e acadêmicos também compareceram ao evento de hoje.

Edição: Nádia Franco

 

Últimas Notícias

Inep divulga resultado do Enem
Frédéric Lamotte é o novo diretor geral da CA Indosuez Wealth (Miami) e responsável Global da região das Américas
A ACIRLAG chega para impulsionar o setor econômico da região Leste de Aparecida
Inep divulga notas do Enem na sexta-feira
Bolsonaro sanciona Lei do Orçamento 2019 de mais de R$ 3,3 trilhões
Parlamento venezuelano aprova acordo para entrada de ajuda humanitária
Imigrantes hondurenhos sofrem com obstáculos para passagem de caravana
Militares vão atuar de forma mais intensa no Programa Mais Médicos

MAIS NOTICIAS

 

ANP aprova credenciamento de empresa certificadora
 
 
Política de combate à inflação foi bem-sucedida, diz presidente do BC
 
 
Marcos Pontes: fusão de Embraer e Boeing preserva interesses do país
 
 
Número de linhas de celular tem maior queda do ano em novembro
 
 
ANP: Petrobras pede prazo maior para definir quais campos vai explorar
 
 
Ex-presidente do Banco Central defende política econômica do governo

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2017 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212