Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


21 de Nov de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 Polícia desarticula quadrilha especializada em furtar roteadores - Jornal Brasil em Folhas
Polícia desarticula quadrilha especializada em furtar roteadores


A Polícia Civil do Rio de Janeiro desencadeou hoje (5) a Operação Router, para desarticular uma quadrilha especializada em furtar roteadores (equipamentos utilizados na distribuição de sinais de internet/telefonia /TV), que eram comercializados de forma clandestina pela internet.

Feita por policiais da 50ª DP (Itaguaí), a operação teve por objetivo cumprir 13 mandados de prisão, dos quais oito já haviam sido cumpridos. De acordo com a Polícia Civil, o grupo teria causado prejuízo calculado em cerca de R$ 5,4 milhões somente na empresa de telefonia Claro, maior vítima do grupo.

Os integrantes da quadrilha agiam de forma organizada e com divisão de tarefas, subtraiam os equipamentos, com “rompimento de obstáculo, abuso de confiança e concurso de pessoas”.

Foram presos Augusto Fábio de Correa, Douglas Azevedo de Souza, Felipe Gaspar da Silva, Marcos Martins da Rocha, Thiago Ferreira Martins Vinícius Martins Ribeiro, Wagner Ferreira Martins e Arcelino Pereira da Silva Neto, esse último preso em flagrante por porte de arma de fogo.

Com o aprofundamento das investigações, a polícia descobriu que os indiciados, presos no âmbito da operação, eram todos funcionários ou ex-funcionários de empresas do ramo de telecomunicações e furtavam os roteadores em várias regiões do Rio de Janeiro. As estimativas são de que, até setembro deste ano, tenham sido subtraídos pelo grupo cerca de 90 roteadores, cujo valor unitário é de R$ 60 mil.

Segundo a polícia, “as investigações revelaram divisão de tarefas, com um grupo ficando com a parte responsável por efetuar os furtos dos roteadores (o braço operacional da organização), cuja célula era coordenada por Felipe Gaspar; enquanto o braço administrativo da quadrilha, formado por Augusto Fábio e Arcelino Neto, ficava encarregado de limpar e revender os equipamentos.

Os roteadores furtados eram comercializados na internet, com preços variando entre R$ 6 mil e R$ 25 mil.

Edição: Graça Adjuto

 

Últimas Notícias

Bolsonaro elogia Mandetta e Wagner Rosário, ministros anunciados hoje
Atos em Brasília marcam os 50 anos da Receita Federal
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
Grafiteira faz mural de 500 m2 no Rio para homenagear mulheres negras
Dia da Consciência Negra é comemorado no Rio com homenagem a Zumbi
Estados poderão decidir se darão aulas a distância no ensino médio
Moro escolhe delegados da Lava Jato para PF e departamento do MJ
Estudante poderá escolher área a ser avaliada no segundo dia do Enem

MAIS NOTICIAS

 

Estimativa do mercado para inflação cai pela quarta vez seguida
 
 
Autoridades de Cuba anunciam retorno de médicos antes do fim do ano
 
 
Guatemala monitora atividades de vulcão que pode ter novas erupções
 
 
Ex-CEO da Nissan é preso no Japão suspeito de reduzir próprio lucro
 
 
Governador eleito do Rio promete nova concessão para o Maracanã
 
 
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

 

 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212