Pressreader / UOL Banca / Nuvem



Siga, Curta e Compartilhe
#brasilemfolhas - #jonaldodia - #jornaldigital
#jornalbrasil - #newspaperbrazil - #jornalhoje


10 de Dez de 2018 - Jornal em tempo real - Expediente - Publicidade

 

 
Notícias
 MPRJ ajuíza ação contra prefeito de Búzios por improbidade - Jornal Brasil em Folhas
MPRJ ajuíza ação contra prefeito de Búzios por improbidade


O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) ajuizou ação civil pública por improbidade administrativa contra o prefeito de Búzios, André Granado Nogueira da Gama, e mais 23 pessoas. Eles são acusados de envolvimento em fraudes em processos de licitação da prefeitura. As irregularidades causaram prejuízo superior a R$ 26 milhões.

Em julho do ano passado, o prefeito André Granado e dois funcionários públicos foram afastados do cargo por improbidade administrativa. Na ocasião, a Justiça também determinou a indisponibilidade de bens do prefeito e de outros 67 réus para ressarcir o prejuízo ao Poder Público.

A nova ação, a cargo do juízo da 2ª Vara da Comarca de Armação dos Búzios, teve início em fevereiro de 2014 com a apuração de irregularidades nas publicações dos boletins oficiais do município, que estariam sendo feitos em duplicidade. Dessa forma, as empresas que ganharam os contratos emergenciais no início do primeiro mandato de André Granado foram beneficiadas com prorrogações por três a seis meses. Segundo o MPRJ, há fortes indícios de motivação de gratidão do prefeito com os apoiadores de suas campanhas políticas, incluindo a reeleição em 2016.

O esquema de beneficiamento foi investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara Municipal de Búzios, em 2014, e que concluiu a existência da prática irregular.

Pedido

O Ministério Público pede a decretação de indisponibilidade de bens, com fixação de ressarcimento integral do dano, no montante de cada contrato, pagamento de multa civil no equivalente ao dano ao erário e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, pelo prazo de cinco anos. Em relação aos três agentes municipais, acrescenta-se pedidos de perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos por oito anos.

A Agência Brasil não obteve, até o momento, contato com a prefeitura de Búzios.

Edição: Carolina Pimentel

 

Últimas Notícias

Petrobras demite funcionários com prisão decretada na Lava Jato
Porto de Santos movimenta 110 milhões de toneladas de carga em 2018
Alimentos da cesta básica estão mais caros em 16 capitais brasileiras
Vendas internas de veículos novos têm melhor resultado desde 2015
BNDES lança programa para atender startups
Mercosul e UE retomam negociação com expectativa de acordo até março
Poupança tem menor captação para meses de novembro em três anos
Toma posse diretoria da nova Agência Reguladora de Mineração

MAIS NOTICIAS

 

Moro reafirma “confiança pessoal” em Onyx
 
 
Após discussão, votação do Escola sem Partido em comissão é suspensa
 
 
Senado aprova projeto que congela distribuição de recursos do FPM
 
 
Crediário e cartão são os maiores responsáveis pela inadimplência
 
 
Balança comercial tem segundo melhor superávit para meses de novembro
 
 
Enel anuncia R$ 3,1 bi em distribuição de energia em São Paulo

 


 
 
 
 


ÚLTIMAS EDIÇÕES DO JORNAL BRASIL EM FOLHAS

 
 




© 2008 - 2019 - BRASIL EM FOLHAS S/A - CENTRAL DE ATENDIMENTO +55 (62) 3040-8212